Influência moral dos médiuns: o que é e qual a importância?

Influência moral dos médiuns

Será que a influência moral dos médiuns é capaz de afetar as mensagens que são transmitidas pelos espíritos?

Quem são os espíritos que se comunicam com médiuns de baixa moral?

O que pode acontecer se o médium não fizer bom uso das faculdades mediúnicas?

Essas e outras perguntas estão respondidas neste artigo.

Para saber mais, é só continuar a leitura.

A influência moral do médium e do meio nas comunicações mediúnicas

A influência moral do médium e do meio nas comunicações mediúnicas

A influência moral do médium e do meio nas comunicações mediúnicas é alvo dos estudos espíritas.

Tem como objetivo relacionar o contato de espíritos de diferentes classes por afinidade, além de esclarecer de que modo as características do médium exercem influência nas comunicações espíritas.

O médium é um intermediário entre o mundo espiritual e o mundo físico, portanto, ele é quem transmite as mensagens enviadas pelos espíritos desencarnados.

Os espíritos, normalmente, buscam o intérprete que mais se afiniza com eles, a fim de que esse possa representar seus pensamentos da maneira mais fiel possível.

Esta afinidade está vinculada às qualidades e capacidades espirituais do médium que associadas às do Espírito comunicante se desenvolvem ao longo da comunhão vivenciada por eles durante o período de trabalho deste conjunto harmonioso entre encarnado e desencarnado.

Assim, a depender da moralização do médium, espíritos bons ou inferiores podem se conectar a ele.

Vale dizer ainda que as comunicações mediúnicas também podem ser prejudicadas caso o médium não seja afim ao espírito que deseja se comunicar.

Nesse caso, ele pode alterar as respostas e atribuir suas próprias ideias à mensagem, o que normalmente acontece com médiuns no início da vivência mediúnica.

Embora essa influência tenha efeito sobre o que é transmitido, ela não tem poder sobre os espíritos.

Quando distorce o que lhe é dito, o médium é considerado um mau intérprete ou pouco experiente, como todos nós quando iniciamos uma atividade nova.

Afinal, o que é a influência moral?

Influência moral dos médiuns

Como vimos, os espíritos se atraem por aqueles que lhe são similares.

Dessa forma, podemos dizer que a afinidade está relacionada à moral do médium, sua experiência mediúnica e a fidelidade à mensagem e ao Espírito comunicante.

Para entendermos a questão da influência, vamos, primeiramente, compreender o conceito de moral, como esclarece O Livro dos Espíritos:

(Pergunta 629): “Que definição se pode dar da moral?”

Resposta: “A moral é a regra de bem proceder, isto é, de distinguir o bem do mal. Funda-se na observância da lei de Deus. O homem procede bem quando tudo faz pelo bem de todos, porque então cumpre a lei de Deus.”

Em outras palavras, na visão espírita, o conceito se fundamenta na consciência moral, que é a capacidade do indivíduo de distinguir o bem e o mal.

Dessa forma, a moral do médium influencia o tipo de espírito que se torna afim com ele e com aquelas mensagens que divulga.

A importância da moral do médium

A depender da condição moral do médium, ele pode atrair mais espíritos inferiores do que espíritos bons.

Quando o médium é vicioso, por exemplo, juntam-se a eles os espíritos menos evoluídos, que desejam tomar o lugar dos mais adiantados.

Assim, cabe ao médium ter um olhar cuidadoso sobre a sua conduta para driblar os ataques espirituais de Espíritos menos esclarecidos ou perturbadores.

Influência moral e mediunidade

Influência moral dos médiuns

Um dos aspectos que influenciam bastante na comunicação é a vaidade do médium.

Alguns se esquecem de que são simples intermediários e passam a se enxergar como heróis.

Nesse caso, além de serem vítimas de espíritos mal intencionados, podem ainda sofrer paralisações relacionadas à mediunidade.

Qual a relação do desenvolvimento da mediunidade com a moral dos médiuns?

Em O Livro dos Médiuns, no capítulo XX – Da influência moral do médium, Kardec explica:

“É consenso doutrinário que a presença ou ausência de faculdade mediúnica desenvolvida não guarda relação com a moralidade do médium. *“(…) A faculdade propriamente dita reside no organismo; independe do moral. O mesmo, porém, não se dá com o seu uso, que pode ser bom ou mau, de acordo com as qualidades do médium.”

Em outras palavras, a mediunidade não é atribuída ao médium pela sua condição moral.

Um médium imperfeito pode ter a faculdade mediúnica mais desenvolvida do que um médium digno.

No entanto, o uso que faz da mediunidade pode, sim, interferir nas qualidades de suas mensagens.

Os médiuns que fazem mal uso de sua mediunidade serão punidos?

Os médiuns que fazem mal uso de suas faculdades mediúnicas podem ser chamados à atenção pela Espiritualidade levando-os à suspensão ou até perda da mediunidade.

Os espíritos, quando não querem mais ou não podem se servir do médium, deixam de procurá-lo. Houve assim, uma quebra de confiança entre eles.

As causas para o abandono estão descritas em O Livro dos Espíritos:

(Pergunta 220 – Item 3) Que é o que pode causar o abandono de um médium, por parte dos Espíritos?

Resposta: “O que mais influi para que assim procedam os bons Espíritos é o uso que o médium faz da sua faculdade. Podemos abandoná-lo, quando dela se serve para coisas frívolas, ou com propósitos ambiciosos; quando se nega a transmitir as nossas palavras, ou os fatos por nós produzidos, aos encarnados que para ele apelam, ou que têm necessidade de ver para se convencerem. Este dom de Deus não é concedido ao médium para seu deleite e, ainda menos, para satisfação de suas ambições, mas para o fim da sua melhora espiritual e para dar a conhecer aos homens a verdade. Se o Espírito verifica que o médium já não corresponde às suas vistas e já não aproveita das instruções nem dos conselhos que lhe dá, afasta-se, em busca de um protegido mais digno.”

Qual a finalidade das comunicações mediúnicas?

Influência moral dos médiuns

As comunicações mediúnicas podem ter diferentes finalidades, que variam de acordo com o grau de adiantamento do espírito que se comunica.

Um espírito menos elevado, por exemplo, pode trazer mensagens fúteis e até mal intencionadas.

Já um espírito superior tende a enviar mensagens esclarecedoras e voltadas para o bem.

Os espíritos de luz, por sua vez, comunicam-se para promover verdadeiros ensinamentos à humanidade.

De forma geral, as mensagens dos espíritos estão sempre atreladas a um mesmo objetivo: demonstrar que a vida não termina nesta existência e que os espíritos continuam sempre presentes.

As comunicações ainda servem para atribuir uma visão mais responsável sobre as nossas ações aqui na Terra.

Qual boa regra de conduta o médium deve ter?

Qual boa regra de conduta o médium deve ter?

O médium deve sempre buscar o avanço moral, a fim de que sirva de instrumento para espíritos de ordem elevada.

Para isso, deve praticar o autoconhecimento e procurar agir de maneira ética.

Qualidades morais dos médiuns

O médium deve ter e desenvolver os seguintes atributos morais:

  • Bondade
  • Benevolência
  • Amor ao próximo
  • Simplicidade
  • Desprendimento das coisas materiais.

Médium perfeito e médium imperfeito

Médium perfeito e médium imperfeito

Em O Livro dos Médiuns, Allan Kardec classifica os médiuns em perfeitos ou bons e imperfeitos, de acordo com suas características.

Dentro de cada categoria, ele ainda relaciona os tipos existentes.

Veja a seguir!

Médiuns imperfeitos

São médiuns imperfeitos:

  • Médiuns obsidiados: não podem se livrar dos Espíritos importunos e enganadores, porém não se iludem com eles.
  • Médiuns fascinados: acabam sendo iludidos pelos Espíritos enganadores, bem como sobre a natureza das comunicações.
  • Médiuns subjugados: são dominados moralmente e, em muitos casos, sofrem dominação material por parte de maus Espíritos.
  • Médiuns levianos: não fazem bom uso da mediunidade e se aproveitam dela para coisas fúteis.
  • Médiuns indiferentes: ficam alheios às instruções obtidas, sem fazer proveito delas ou estabelecer novos hábitos.
  • Médiuns presunçosos: querem se comunicar apenas com Espíritos superiores e fazem pouco caso de tudo o que não está relacionado a eles.
  • Médiuns orgulhosos: deixam a vaidade tomar conta, acham que não precisam mais aprender e ainda não se contentam com as faculdades que possuem.
  • Médiuns suscetíveis: possuem perfil semelhante aos orgulhosos, com o acréscimo de que não aceitam críticas e se zangam com a contradição.
  • Médiuns mercenários: usam as suas faculdades mediúnicas para favorecer interesses financeiros.
  • Médiuns ambiciosos: esperam tirar vantagens da mediunidade.
  • Médiuns de má-fé: agem como charlatões, inventando e modificando as comunicações mediúnicas, bem como as faculdades que possuem.
  • Médiuns egoístas: aproveitam-se da mediunidade apenas para interesse pessoal e não compartilham as comunicações que recebem.
  • Médiuns invejosos: desprezam outros médiuns que lhe são superiores.

Médiuns bons

São médiuns bons:

  • Médiuns sérios: utilizam a mediunidade para o bem, mas, muitas vezes, pensam que são usados para futilidades.
  • Médiuns modestos: não interferem nas comunicações e se consideram estranhos a elas, sem qualquer tipo de julgamento.
  • Médiuns devotados: entendem que seus interesses e necessidades devem ser abnegados em prol do bem alheio.
  • Médiuns seguros: sentem-se confiantes quanto às comunicações recebidas, sem acharem-se em risco de ilusão.

Vídeo sobre médiuns e mediunidade

Ficou interessado sobre o assunto e quer aprender mais sobre médiuns e mediunidade?

Algumas palestras espíritas podem contribuir com o seu conhecimento.

Confira duas indicações:

O Livro dos Médiuns no Programa Transição

No Programa Transição, o médium Divaldo Franco fala sobre O Livro dos Médiuns em comemoração aos 150 anos da publicação da obra.

Assista:

Influência Moral do Médium – Mediunidade Hoje

No Programa Mediunidade Hoje, Carlos A. Bacelli responde a diversas perguntas sobre a influência moral do médium.

Assista:

Conclusão

Neste artigo, vimos que a mediunidade não é concedida ao indivíduo por seu avanço moral.

Até mesmo um espírito encarnado imperfeito pode tê-la aflorada.

No entanto, a natureza das comunicações recebidas se distinguem pela moralização.

Aqueles que são mais dignos aproximam os espíritos bons, enquanto aqueles que possuem mazelas morais atraem espíritos inferiores.

Cabe aos médiuns saber aproveitar a mediunidade, utilizando-se dela para seu aperfeiçoamento e sempre para o bem da humanidade.

Gostou deste conteúdo sobre influência moral dos médiuns? Então, aproveite o espaço ao final do texto para escrever o seu comentário.

Tem outro tema que gostaria de ver por aqui? Faça uma sugestão de assunto para a nossa equipe pelo formulário de contato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *