Paulo e Estêvão: sinopse do livro, base histórica e onde comprar

Você já ouviu falar sobre Paulo e Estêvão?

As histórias desses dois cristãos inspiraram livro e filme.

Quem é adepto do Espiritismo ou simpatizante da doutrina espírita não pode deixar esses títulos de fora da sua lista de leitura.

O livro “Paulo e Estevão” é o primeiro livro da série “Romances de Emmanuel” que contém 5 obras abaixo citadas. Todos esses livros são de autoria do espírito Emmanuel e foram ditados por ele e trazidos para nós graças à mediunidade de Chico Xavier, através do fenômeno da psicografia (escrita mediúnica):

  • Paulo e Estevão
  • Há dois mil anos
  • Cinquenta Anos Depois
  • Ave Cristo!
  • Renúncia

Neste conteúdo, além de contar brevemente a trajetória de Paulo e Estêvão, trouxemos detalhes da obra produzida por Chico Xavier e também do longa-metragem filmado no Brasil.

Acompanhe até o fim!

Paulo e Estevão: obra de Francisco Cândido Xavier, ditada por Emmanuel

Chico Xavier, como todos sabem, foi um dos maiores médiuns do Brasil.

A sua mediunidade permitiu que ele consolasse milhares de pessoas através de cartas psicografadas.

Além disso, também foi responsável por publicar mais de 450 livros com ensinamentos valiosos transmitidos pelo mundo espiritual, em especial, ditados por Emmanuel.

Uma dessas obras é Paulo e Estevão, publicada em 1941.

É considerado uma obra prima da parceria entre o Espírito Emmanuel e o médium Francisco Cândido Xavier.

Esse romance espírita é apresentado como “Episódios Históricos do Cristianismo Primitivo”.

Isso porque é narrado no período histórico a partir do ano de 34 d.C. (um ano depois da morte de Jesus Cristo) até 64 d.C. (provável ano da morte do apóstolo Paulo).

O livro, que teve tiragem de 420 mil exemplares, impressionou muitos leitores e estudiosos pelas revelações históricas contidas.

Paulo e Estêvão e o Espiritismo

Chico Xavier era um expoente do Espiritismo.

A obra Paulo e Estêvão, portanto, é fruto do seu trabalho como médium espírita.

Mas a relação da doutrina com Paulo e Estêvão não se resume à publicação.

A conexão de Paulo e Estêvão com o Espiritismo se dá pelo conteúdo da mensagem que compartilham, ou seja, o Evangelho.

Paulo e Estevão foram da época dos primeiros cristãos e dedicaram grande parte de suas vidas a transmitir os ensinamentos de Jesus Cristo.

A doutrina espírita, como O Consolador Prometido, tem a missão de esclarecer e fortalecer essas morais evangélicas.

Assim, tanto Paulo e Estêvão como o Espiritismo são disseminadores dos ideais de Cristo.

Sinopse do livro Paulo e Estêvão

Paulo e Estêvão conta a história de Saulo de Tarso, que mais tarde ficaria conhecido como apóstolo Paulo.

Saulo é o protagonista da história deste livro.

Ele conjuga essa sua trajetória com várias personagens, entre elas está Estevão. O título do livro faz alusão aos entrelaçados acontecimentos da vida dessas duas personagens bíblicas marcantes.

Primeiro Mártir do Cristianismo

Estevão foi considerado o primeiro Mártir do Cristianismo. Morto apedrejado pelas perseguições contra a doutrina do Cristo.

E Saulo, que se tornará Paulo e depois São Paulo, atravessa sua vida inteira entre o paradoxo de ser um no início dela, um grande perseguidor do Cristianismo até se tornar um dos maiores defensores e divulgadores dos ensinamentos de Jesus.

Esta emocionante obra de Emmanuel, psicografada por Chico Xavier, conta fatos históricos e acontecimentos dos primórdios do cristianismo usando a vida de Saulo de Tarso como referência.

O livro é dividido em duas partes.

Paulo e Estevão: primeira parte

A primeira parte do Livro são 10 capítulos. Conta sobre o passado de Estevão, que se chamava antes Jeziel e de sua irmã Abigail. Passa pelo encontro de Estevão com a doutrina de Jesus e como ele se dedicou ao apostolado de Cristo após essa revelação.

Nesta parte também está contido o início da história de Saulo de Tarso. Diz detalhes de sua educação privilegiada que o orientou a se tornar um doutor da Lei de Moisés e conseguir grande destaque na sociedade vigente. Saulo foi preparado para assumir o lugar do sumo sacerdote, pessoa que liderava o Sinédrio.

Conversão de Saulo para Paulo de Tarso

No livro, estão presentes detalhes históricos importantes sobre o período antes da conversão de Saulo para Paulo de Tarso quando ele era um dos maiores perseguidores do cristianismo e tinha como meta eliminar a doutrina cristã.

Ainda na primeira parte, o livro narra sobre a aproximação de Saulo e uma jovem simples, mas muito bonita e espiritualizada, que fazia exatamente o modelo de mulher idealizado por ele — o nome dela é Abigail.

Essa aproximação, que logo vira um romance, faz com que os caminhos de Saulo e Estevão se cruzem por acontecimentos emocionantes e inimagináveis.

Jornada até Damasco e o encontro com Jesus

Ainda na primeira parte está a descrição da jornada de Saulo de Tarso até Damasco e o encontro dele com Jesus, convertendo-se em “Paulo de Tarso” e, então, tornando-se um dos principais propagadores do Cristianismo do mundo.

É muito curioso ler o que Emmanuel escreve, pois em vários momentos ele cita efeitos mediúnicos e passagens que somente do plano espiritual foram possíveis presenciar.

Para espíritas e simpatizantes, este é um deleite ainda maior da obra. Para os céticos, esses fatos são intrigantes, ou no mínimo curiosos.

Vale a pena!

Paulo e Estevão: segunda parte

A segunda parte, narra as desafiadoras tarefas de Saulo, agora convertido em cristão, em diversas expedições para divulgação do evangelho de Jesus.

Conta que Paulo se tornou um homem simples e passou a viver sua vida dedicado à divulgação da mensagem do Cristo e à fundação de Igrejas Cristãs.

A cada cidade que Paulo visitava, ele buscava indivíduos simpáticos às ideias de Jesus Cristo, revelava os seus ensinamentos através dos Evangelhos copiados dos originais escritos pelos apóstolos de Jesus e fundava grupos de estudo e trabalho em prol dos mais necessitados.

Essa heroica jornada foi marcada por muitos desafios, lutas e fé — cujas mais relevantes estão registradas neste livro.

Tentações e desafios

Diversas tentações e desafios rondavam Saulo e seus amigos cristãos, tentando de alguma forma atrapalhar sua missão. Mas a sua dedicação, confiança em Deus e amor por Jesus, fizeram que esses episódios fortalecessem ainda mais a sua garra para o trabalho.

Concluímos que Paulo, o grande peregrino do Cristo, foi um personagem fundamental nos primórdios do cristianismo e graças a ele, o evangelho de Jesus alcançou rapidamente uma expansão geográfica impressionante.

Paulo e Estêvão é um livro que coloca uma das histórias mais conhecidas da bíblia sob a luz a doutrina espírita.

É ainda um grande ensinamento sobre fé e redenção para a humanidade.

Uma história que fará você compreender como o amor apaga a multidão de faltas cometidas em cada existência vivida.

Quem foram Paulo e Estêvão? Um pouco mais sobre os personagens principais da história.

Paulo e Estêvão foram dois grandes adeptos do Cristianismo com histórias que se cruzam.

Sobre Saulo de Tarso (Paulo de Tarso)

Paulo nasceu Saulo de Tarso, na Cilícia, uma cidade próxima da costa nordeste do Mar Mediterrâneo.

Anos depois, mudou-se para Jerusalém, onde foi educado e estudou sobre muitas culturas, aprendendo, também, algumas línguas.

No princípio de sua vida, Saulo era um grande adversário do Cristianismo. Perseguia os adeptos dos ideais de Jesus Cristo.

Em determinado momento, Abigail, que havia sido sua noiva, confessou ter se convertido ao Cristianismo.

A revolta de Saulo

Saulo ficou extremamente revoltado e ordenou que o irmão de Abigail, Estêvão, fosse executado por acreditar tê-la influenciado na decisão, já que Estêvão era um divulgador do Cristianismo.

Estêvão foi o primeiro mártir do Cristianismo.

Depois disso, Saulo continuou sua perseguição aos adeptos, mas, nessa jornada, encontrou Jesus Cristo e também se converteu.

Ele mudou de nome, para Paulo de Tarso, e passou a ser conhecido como apóstolo Paulo.

Sobre Estevão

Assim como Saulo, no início da história, Estevão também tinha outro nome. Ele se chamava Jeziel. Hebreu, filho de uma família israelita humilde mas muito honrada, foi educado pelos seus pais dentro dos ensinamentos religiosos das escrituras da época.

Morava com seu pai Jochedeb e sua irmã Abigail, quando sua vida deu uma reviravolta.

Em Corinto, sua família foi acusada de conspirar contra César e o Estado. Os 3 foram presos e o pai foi condenado à morte. Sua irmã conseguiu fugir, mas Estevão, condenado, ficou subjugado às garras daqueles que o governavam.

A alforria secreta

Conquistando a afeição dos seus prepostos, pela sua imensa maturidade espiritual e atitudes admiráveis, Estevão consegue a alforria secreta, sob a gratidão por ter salvado a vida de um deles. Porém, essa liberdade foi feita de forma ilegal e por isso Jeziel deveria mudar de nome — então passou a ser conhecido como Estevão.

Estevão conhece em Jerusalém a mensagem do Cristo, sem tê-lo conhecido. Magnetizado e crente da sua Verdade, se torna abnegado trabalhador da comunidade cristã.

Estevão pertencia a um grupo de cristãos conhecidos como os “helenistas”.

Cristianismo era crime

Por que o cristianismo era crime e seus adeptos eram perseguidos pelas autoridades do estado, Estevão foi novamente preso pelas autoridades judaicas, levado diante do Sinédrio (que era a suprema assembleia de Jerusalém) e foi condenado por blasfémia.

Sua sentença foi a pena de morte por apedrejamento (vide passagem do Atos 7 e 8, o oitavo capítulo dos Atos dos Apóstolos).

Entre os presentes na execução, estaria Saulo de Tarso (futuro Paulo), ainda durante os seus dias de perseguidor de cristãos.

Base Histórica de Paulo e Estêvão

A história de Paulo e Estêvão se encontra no livro Atos dos Apóstolos na Bíblia. Em um relato de Lucas – Atos 9:3-6 está a passagem que Saulo encontra Jesus:

“E, indo no caminho, aconteceu que, chegando perto de Damasco, subitamente o cercou um resplendor de luz do céu.

E, caindo em terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues?

E ele disse: Quem és, Senhor?

E disse o Senhor: Eu sou Jesus, a quem tu persegues. Duro é para ti recalcitrar contra os aguilhões.

E ele, tremendo e atônito, disse: Senhor, que queres que eu faça?

E disse-lhe o Senhor: Levanta-te, e entra na cidade, e lá te será dito o que te convém fazer.”

Mais referências à Estevão neste link

Chico Xavier explica como escreveu a obra Paulo e Estêvão

Chico Xavier publicou o livro Paulo e Estêvão em 1941.

Na época, o médium trabalhava na antiga Inspetoria Regional do Serviço de Fomento da Produção Animal em Pedro Leopoldo.

Dessa forma, a dedicação à obra precisou compartilhar espaço e tempo com o seu emprego.

No vídeo abaixo, Chico conta como fazia para escrever Paulo e Estêvão.

Segundo Chico, ele chegava do trabalho às 17h, comia alguma coisa e começava a trabalhar às 17h30. O trabalho de psicografia durava de 1h30 a 2h da madrugada. Ele recebia o ditado do espírito Emmanuel, passava a limpo a sua redação e ele mesmo datilografava o texto.

Assista ao relato emocionante deste depoimento de Chico Xavier:

Assista também o relato do Médium e Professor José Raul Teixeira sobre o trabalho de Chico Xavier e a recompensa que recebeu de forma especial da espiritualidade por ter concluído a obra:

Paulo e Estêvão: Filme

Paulo de Tarso e a História do Cristianismo Primitivo é o nome do filme que retrata a história dos primeiros cristãos.

De produção nacional, o elenco conta com alguns nomes conhecidos do cinema, como Alexandre Galves, Caio Blat e Renato Scarpin.

O longa-metragem está disponível em plataformas pagas, como Prime Video, YouTube e Google Play.

Assista ao trailer do filme aqui:

Capítulos de Paulo e Estêvão

O livro Paulo e Estêvão, de Chico Xavier, é estruturado em duas partes.

Confira a seguir os capítulos que compõem cada uma delas:

Primeira parte

  • Capítulo 1 – Corações flagelados
  • Capítulo 2 – Lágrimas e sacrifícios
  • Capítulo 3 – Em Jerusalém
  • Capítulo 4 – Nas estradas de Jope
  • Capítulo 5 – A pregação de Estêvão
  • Capítulo 6 – Ante o Sinédrio
  • Capítulo 7 – As primeiras perseguições
  • Capítulo 8 – A morte de Estêvão
  • Capítulo 9 – Abigail cristã
  • Capítulo 10 – No caminho de Damasco.

Segunda parte

  • Capítulo 1 – Rumo ao deserto
  • Capítulo 2 – O tecelão
  • Capítulo 3 – Lutas e humilhações
  • Capítulo 4 – Primeiros labores apostólicos
  • Capítulo 5 – Lutas pelo Evangelho
  • Capítulo 6 – Peregrinações e sacrifícios
  • Capítulo 7 – As Epístolas
  • Capítulo 8 – O martírio em Jerusalém
  • Capítulo 9 – O prisioneiro do Cristo
  • Capítulo 10 – Ao encontro do Mestre.

Os 4 melhores romances de Emmanuel

Emmanuel, o guia espiritual de Chico Xavier, se manifestou ao médium nos anos 1920.

As psicografias, por sua vez, se iniciaram a partir da década de 30.

Emmanuel ditou mais de 312 obras e fez importantes contribuições à bibliografia espírita.

Conheça a seguir alguns dos melhores romances espíritas escritos pelo espírito com a ajuda de Chico:

1. A Caminho da Luz

A Caminho da Luz foi a segunda obra ditada pelo espírito Emmanuel a Chico Xavier.

Neste livro, de 1939, Emmanuel aborda a história da civilização sob a luz da espiritualidade.

Ele nos presenteia com ensinamentos valiosos sobre o mundo em que vivemos.

A leitura ainda reforça a importância do Evangelho diante da ciência, das religiões e das filosofias terrenas.

Link para livraria da FEB

2. Há Dois Mil Anos

Há Dois Mil Anos foi o terceiro romance espírita de Emmanuel pelas mãos de Chico Xavier.

Ele, inclusive, foi publicado no mesmo ano do livro A Caminho da Luz, ou seja, em 1939.

A obra conta a história do senador romano Publius Cornelius Lentulus.

Acredita-se que ele tenha sido uma das encarnações de Emmanuel.

O livro retrata as escolhas e atitudes erradas do senador e as consequências de seu comportamento.

É uma excelente obra para entender e refletir sobre a lei de causa e efeito.

Link para livraria da FEB

3. O Consolador

O Consolador, de Chico Xavier, pelo espírito Emmanuel, também está entre as primeiras obras publicadas pelo médium.

O livro é de 1941.

Ao contrário de outras obras, essa é estruturada em perguntas e respostas.

Os questionamentos promovem esclarecimentos sobre o Espiritismo com base em ciência, filosofia e religião, e reforça a crença de que a doutrina é o consolador prometido por Cristo.

O Consolador é ainda uma ótima leitura para compreender a importância da reforma íntima, a dor no processo de evolução, a prática espírita e a mediunidade.

Link para livraria da FEB

4. Paulo e Estêvão

Paulo e Estêvão, como vimos ao longo do artigo, é outra obra de Chico Xavier, pelo espírito Emmanuel, que merece entrar nessa lista de melhores romances espíritas do guia espiritual.

O livro traz uma belíssima mensagem de que é possível se redimir dos erros cometidos e buscar a progressão moral.

Link para livraria da FEB

Onde comprar o livro Paulo e Estêvão

Ficou interessado pela história de Paulo e Estêvão?

De fato, a narrativa é fascinante e proporciona uma importante lição sobre fé e redenção.

Para comprar o livro, é simples.

A FEB Editora comercializa os exemplares em seu site.

Basta acessar o seguinte endereço: https://www.febeditora.com.br/paulo-e-Estêvão, realizar o cadastro e efetuar o pagamento online para receber o livro em sua casa.

Conclusão

Neste conteúdo, vimos o resumo da história dos primeiros cristãos, Paulo e Estêvão.

Falamos sobre Paulo, que antes era um perseguidor do Cristianismo e depois se converteu, se tornando apóstolo, e também sobre Estêvão, que foi um mártir do Cristianismo.

A trajetória de Paulo é inspiradora e provoca grandes reflexões.

Por isso, o livro faz parte da bibliografia espírita e é uma das principais recomendações de leitura para os adeptos do Espiritismo.

Além da obra de Chico Xavier, também é possível acompanhar a história pelo filme produzido nacionalmente.

Gostou deste conteúdo sobre Paulo e Estêvão? Então, aproveite o espaço ao final do texto para escrever o seu comentário.

Tem outro tema que gostaria de ver por aqui? Faça uma sugestão de assunto para a nossa equipe pelo formulário de contato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *