Provas e Expiações: quais as diferenças, segundo o Espiritismo?

Você já ouviu falar em provas e expiações?

Pode até ser que o termo seja desconhecido, mas, certamente, você tem passado por diversas provas e expiações.

Compreender o que elas são e por que acontecem pode mudar a forma como você encara os acontecimentos da sua vida.

E, então, preparado para “entrar de cabeça” no assunto?

Continue lendo o artigo até o final.

Provas e expiações: o que são e quais as diferenças?

Provas e expiações são termos que costumam ser usados juntos para designar as condições espirituais do planeta Terra. As provas se referem aos desafios que nos testam e nos fazem progredir, enquanto as expiações funcionam como uma espécie de alerta sobre nossa responsabilidade sobre cada ação que executamos resultando na reeducação do nosso espírito.

A seguir, confira mais detalhadamente os conceitos para entender qual a diferença entre provas e expiações:

Provas

Se você tem dificuldade para compreender o que é provação espiritual, pense no seguinte paralelo:

Na escola, as provas são aplicadas para testar os nossos conhecimentos e avaliar se aprendemos o conteúdo e adquirimos a qualificação necessária para avançar de ano, não é verdade?

Essa é a mesma lógica das provas no contexto espiritual.

Na vida terrena, as provas representam situações diversas que enfrentamos.

A forma como lidamos com elas indica se assimilamos os ensinamentos divinos ou não.

As provas podem ser árduas, mas significam oportunidades de progresso espiritual.

Sem elas, viveríamos em total estado de inércia.

Expiações

Se você procurar pela palavra expiação em dicionários, vai encontrar explicações relacionadas ao cumprimento de penas e purificação de faltas cometidas.

Esse modesto significado, no entanto, não esclarece o que é expiação na visão do Espiritismo.

A expiação, no contexto espiritual, tem, sim, relação com as consequências de nossa boa ou má conduta perante as Leis Universais, sobre nossos abusos ou moderação em relação ao nosso corpo físico e a convivência com o nosso próximo, pois que há um propósito maior por trás disso: a reeducação.

O uso indevido do livre-arbítrio é o que acarreta nossas expiações.

As expiações costumam provocar sofrimento, uma vez que seu intuito é conter os comportamentos inadequados a fim de que o espírito aprenda e retorne ao caminho correto.

Mundo de regeneração – um mundo de provas e expiações

Um mundo de provas e expiações é como nos referimos ao planeta Terra.

Nosso globo terrestre ainda se enquadra em uma esfera onde o mal predomina.

Ainda que essa seja a condição atual do planeta, ele caminha para um mundo mais avançado física e moralmente falando, chamado de mundo de regeneração.

Como características do mundo de regeneração, podemos dizer que as condições causadas pelo apego à matéria, como ignorância, egoísmo e violência, deixarão de existir.

Ou seja, tudo o que identificamos nos mundos inferiores não fará mais parte do novo planeta.

Hoje, as provas e expiações para regeneração são indispensáveis.

Mas, quando a transição se completar, as expiações serão extintas, embora as provas ainda permaneçam para que possamos continuar evoluindo.

Quais são os mundos espirituais?

O planeta Terra é apenas um dos mundos habitados do universo segundo o Espiritismo.

Diante dessa informação, você pode estar se perguntando, então, quantos mundos habitados existem?

Pois, bem, de acordo com o livro As Setes Esferas Da Terra, de Mário Frigéri, pela editora FEB, somente no nosso planeta há sete faixas vibracionais que representam os planos espirituais habitados por Espíritos conforme seu grau de evolução: Abismo; Trevas; Crosta Terrestre; Umbral; Arte, Cultura e Ciência; Amor fraterno universal; e Diretrizes do Planeta.

Todos eles representam faixas vibracionais, que podem ficar abaixo ou acima da Terra, e se expandem até o limite do planeta vizinho.

E nos demais orbes do nosso Sistema Solar também existem planetas habitados com formas de vida espiritual ainda não detectados pela ciência convencional, porém com vasto material psicografado por entidades espirituais que habitam esses globos.

Imaginemos então todo o universo, Deus não cessa de criar a matéria e os espíritos que irão habitar esses mundos novos.

Jesus disse que “Há muitas moradas na casa do Pai” (Jo 14:2) fazendo referência a este princípio postulado na Doutrina Espírita como Pluralidade dos Mundos Habitados.

 

Visão espírita sobre provas e expiações

Agora que o conceito de provas e expiações está esclarecido, temos condições de avançar no artigo e abordar a visão espírita sobre o assunto.

Reencarnação

A reencarnação é um dos princípios básicos do Espiritismo.

Para a doutrina, a morte não é o fim da vida.

Embora o corpo pereça, o espírito continua vivo no plano espiritual.

Lá, ele permanece até ter a chance de uma nova existência em um novo corpo.

A reencarnação representa a oportunidade do espírito de continuar progredindo.

Quando ele retorna ao mundo físico, é submetido a provas que o ajudam na evolução se forem bem conduzidas com coragem e resignação.

Livre-arbítrio

O livre-arbítrio representa a liberdade do indivíduo para fazer suas próprias escolhas.

Isso não significa, no entanto, que o homem está isento de correções pelas suas ações ruins.

Ainda que tenha autonomia em suas atitudes, é responsável pelas consequências delas.

O Céu e o Inferno

Para o Espiritismo, céu e inferno representam estados de consciência.

O espírito, após o desencarne, habita o lugar condizente com a sua bagagem espiritual representada pelas ações praticadas na Terra.

Se manteve o compromisso com o bem, seu destino é um lugar de refazimento e trabalho.

O inferno, ou as regiões espirituais de sofrimento e reparação, por sua vez, é o lugar de quem não conseguiu avançar nas suas conquistas espirituais conforme os ensinamentos morais de Cristo.

Além disso, as situações espirituais não são eternas.

Se o indivíduo se arrepende verdadeiramente de seus atos, e procura a reparação de seus atos, modificação de seus sentimentos para melhor e empreender sua melhoria espiritual, ele pode ser resgatado e levado a uma região em condição superior à que se encontrava anteriormente.

Palestra espírita sobre provas e expiações

As provas e expiações costumam provocar muitas dúvidas naqueles que são iniciantes no estudo da Doutrina Espírita..

Até por essa razão, esse é um assunto que os palestrantes espíritas têm o hábito de dissertar.

No YouTube, é possível acompanhar a palestra de Divaldo Franco intitulada “Mundos de Provas e Expiações – já terminou esta fase do planeta?”, ministrada na 9ª Conferência Espírita da Federação Espírita da Flórida.

Assista ao vídeo:

Lei do progresso no Espiritismo

A Lei do Progresso é uma das dez leis morais atribuídas à Lei Natural, que é a lei de Deus, conforme descrito na Parte Terceira de O Livro dos Espíritos de Allan Kardec, intitulado “Das Leis Morais”.

Ela explica que, diferentemente dos outros seres vivos, os humanos têm um objetivo a ser cumprido quando encarnados: a progressão espiritual.

Deus, causa primária de todas as coisas, nos forneceu as condições para isso, a qual chamamos de Providência Divina a que todos estamos sujeitos.

Não é à toa que somos dotados de intelecto.

Nossa missão, portanto, é usá-lo para evoluir espiritualmente, desenvolvendo o sentimento de amor profundo a Deus e também à todas as criaturas .

Ninguém pode deter o progresso. não há como revogar uma Lei Divina. Conforme a questão de nº 781 de O Livro dos Espíritos, os espíritos respondem à Allan Kardec que aqueles que tentarem deter a marcha do progresso serão levados de roldão pela torrente que procuram deter.

O progresso intelectual dará ao homem as condições de compreender o bem e o mal e assim agirá com acerto, desenvolvendo-se espiritualmente.

 

Lei da causa e efeito

A Lei da causa e efeito é um dos princípios que regem o Universo, como a Lei de Ação e Reação preconizada pela física moderna..

Este é o princípio que rege os postulados da reencarnação e do livre-arbítrio.

Segundo esta lei, toda ação tem uma reação.

Se praticamos o bem, temos o bem de retorno.

Mas, se plantamos o mau, é ele que colheremos.

Entretanto, isso não se limita ao plano físico no qual vivemos.

As consequências dos nossos atos são registradas no nosso perispírito que está atrelado ao nosso espírito.

4 livros sobre provas e expiações

As provas e expiações são retratadas em diversas obras espíritas.

Se você quiser se aprofundar mais no assunto, vale investir na leitura dos seguintes livros:

1. Memórias de um suicida

Neste romance espírita, psicografado pela médium Yvonne do Amaral Pereira, Camilo Castelo Branco narra a sua experiência após o desencarne.

Após ter ficado cego, ele decide tirar a própria vida e vê-se em uma região espiritual chamada de o Vale dos Suicidas após a sua desencarnação.

No livro, ele conta como a alma de um suicida resgata suas dores pelos atos feitos em vida, como, por exemplo, sentir o odor do próprio cadáver em decomposição.

2. Ação e Reação

Ação e Reação é uma obra psicografada por Chico Xavier pelo espírito André Luiz.

O livro retrata a lei de causa e efeito a partir de acontecimentos reais.

Em uma das narrativas , por exemplo, o espírito conta como um homicídio cometido por interesses financeiros desencadeou em enorme sofrimento.

3. O Céu e o Inferno

O Céu e o Inferno é uma das obras fundamentais da codificação espírita de Allan Kardec.

No livro, Kardec explica que os destinos do espírito após o desencarne são estados de consciência.

Ele também aborda a reencarnação e esclarece que a pluralidade das existências pode se dar na Terra ou em outros mundos.

Tudo isso a partir da lei de causa e efeito.

4. Transição Planetária

Este livro publicado por Divaldo Pereira Franco, ditado pelo espírito Manoel Philomeno de Miranda, explica o momento pelo qual a Terra está atravessando.

Ou seja, a transição de um mundo de provas e expiações para um mundo de regeneração.

Exemplos de provas e expiações

As provas e expiações sempre serão compatíveis com a condição espiritual do ser em ascensão à Deus.

Além disso, elas também são singulares.

Afinal de contas, cada indivíduo experimenta o que é preciso para a sua evolução espiritual.

Entretanto, em geral, as provas têm relação com aspectos como riqueza, pobreza, beleza, feiura, vida difícil e vida fácil, por assim dizer.

Algumas condições podem parecer vantajosas à primeira vista, mas não é bem assim.

Nada é por acaso.

Com relação às expiações, cabe dizer que os sofrimentos morais são impostos a partir das provas e dos erros cometidos.

Conclusão

Viu só como as provas e expiações são necessárias para o nosso progresso espiritual?

A partir de agora, então, que tal encarar os desafios da sua vida de maneira positiva e usá-los para impulsionar a sua evolução?

Gostou deste conteúdo sobre provas e expiações? Então, aproveite o espaço ao final do texto para escrever o seu comentário.

Tem outro tema que gostaria de ver por aqui? Faça uma sugestão de assunto para a nossa equipe pelo formulário de contato.

 

Para construir este artigo, foram usadas as seguintes referências:

  • O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec
  • O Evangelho Segundo o Espiritismo, de Allan Kardec
  • O Céu e o Inferno, de Allan Kardec
  • Memórias de um Suicida, Yvonne do Amaral Pereira
  • Transição Planetária, de Divaldo Franco
  • Ação e Reação, de Chico Xavier
  • As Setes Esferas Da Terra, de Mário Frigéri.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *