Reunião mediúnica: o que acontece em uma reunião espírita?

Você nunca foi à uma reunião mediúnica e tem curiosidade para saber como ela funciona?

Neste conteúdo, vamos explicar o que é, para que serve e como são organizadas as reuniões espíritas.

Fique conosco até o final e descubra tudo sobre o assunto!

Reunião mediúnica: o que é?

Como sabemos, uma reunião é o agrupamento de pessoas em um mesmo local para tratar de algum assunto.

Normalmente, as reuniões têm propósitos e temas específicos, além de outras características singulares.

No caso da reunião mediúnica, o encontro entre indivíduos é marcado pela presença do exercício disciplinado e orientado da mediunidade.

Ou seja, entre o grupo há sempre um ou mais médiuns em exercício de comunicação entre o mundo material e o mundo espiritual.

O que acontece em uma reunião espírita?

Como a mediunidade é o canal de comunicação com o mundo espiritual, é natural que a reunião mediúnica conte com a participação dos encarnados e de espíritos desencarnados.

Esses, por sua vez, podem ser benfeitores ou espíritos precisando de ajuda e esclarecimentos.

Dessa forma, durante o encontro, a conexão entre o plano físico e o astral é estimulada para um encontro de amor e caridade.

Para que serve a reunião mediúnica espírita?

A reunião mediúnica espírita carrega, em essência, a comunicação com os espíritos.

Essa interação pode ter diferentes objetivos.

Amparar os espíritos angustiados é um dos principais.

Mas o encontro também serve também para realizar tratamentos de desobsessões e de orientações espirituais, além de permitir que entes queridos desencarnados enviem notícias para os que estão na Terra através de mensagens psicofônicas (quando o médium fala) ou psicografadas (quando o médium escreve).

Leia também: Psicofonia: significado, sinais e instruções

De onde veio a expressão “Reunião de mesa branca”?

Como você deve saber, o Espiritismo não é a única corrente religiosa, filosófica e científica que admite a existência do mundo espiritual e da comunicação com os espíritos.

Entre as doutrinas e religiões, há aquelas que se utilizam de reuniões para, além de orações e passes magnéticos, fazer trabalhos de limpeza espiritual.

A expressão ficou conhecida pela forma com que a reunião é conduzida.

Nela, os médiuns se sentam em volta de uma mesa, geralmente, na cor branca.

A cor branca remete à pureza, o que seria um requisito importante para potencializar as ações de iluminação e cura.

É importante salientar, no entanto, que as reuniões de mesa branca não são uma prática do Espiritismo conforme a codificação de Allan Kardec.

As reuniões espíritas, inclusive, dispensam o uso de qualquer objeto ou ritual para a comunicação com os espíritos.

A mesa, quando usada, serve apenas para a comodidade dos médiuns que irão escrever as mensagens recebidas pelos espíritos.

O que um médium não deve fazer durante uma reunião espírita mediúnica?

Em primeiro lugar, o médium, independentemente do seu papel na reunião espírita, precisa ser um estudioso da Doutrina, apresentar um comportamento ético-moral equilibrado e ser um trabalhador devotado da instituição a que pertence.

É preciso, portanto, manter-se vigilante a todo o tempo.

Tudo que foge aos ensinamentos da Doutrina Espírita não deve ser feito.

Em O Livro dos Médiuns, de Allan Kardec, os espíritos explicam ainda que a faculdade mediúnica pode ser retirada caso o médium não saiba usar o dom que lhe foi conferido.

(Item 220 – 3ª) Que é o que pode causar o abandono de um médium, por parte dos Espíritos?

Resposta:

“O que mais influi para que assim procedam os bons Espíritos é o uso que o médium faz da sua faculdade. Podemos abandoná-lo, quando dela se serve para coisas frívolas, ou com propósitos ambiciosos; quando se nega a transmitir as nossas palavras, ou os fatos por nós produzidos, aos encarnados que para ele apelam, ou que têm necessidade de ver para se convencerem. Este dom de Deus não é concedido ao médium para seu deleite e, ainda menos, para satisfação de suas ambições, mas para o fim da sua melhora espiritual e para dar a conhecer aos homens a verdade. Se o Espírito verifica que o médium já não corresponde às suas vistas e já não aproveita das instruções nem dos conselhos que lhe dá, afasta-se, em busca de um protegido mais digno.”

Reunião espírita para diálogo com os espíritos

A comunicação com os espíritos é um dos propósitos das reuniões espíritas.

Nessas ocasiões, os espíritos podem enviar mensagens através do médium.

Esse diálogo vai depender da faculdade mediúnica do intermediário, que pode se dar por psicofonia ou psicografia.

Em ambos os casos, o médium pode estar consciente, semiconsciente ou inconsciente.

Assim, a comunicação dos espíritos pode ter formas distintas, mas, no geral, é assim que elas funcionam:

Psicofonia durante a reunião mediúnica

A psicofonia é a comunicação dos espíritos pela voz de um médium.

O médium psicofônico, como é chamado, possui clariaudiência.

Ou seja, é capaz de ouvir os espíritos e transmitir as mensagens pela fala.

Psicografia durante a reunião mediúnica

A psicografia é a escrita de mensagens ditadas pelos espíritos.

O médium que possui essa capacidade é chamado de psicógrafo.

Para realizar a psicografia, além de se conectar com o mundo espiritual, o médium precisa de papel e caneta para redigir as mensagens.

Quais são os tipos de espíritos que podemos ajudar durante uma sessão mediúnica?

Segundo Kardec em O Livro dos Espíritos, os espíritos são classificados com base no grau de adiantamento que possuem.

Essa escala espírita é resumida a três categorias principais: a dos espíritos puros; a dos bons espíritos; e a dos espíritos imperfeitos.

Nessa terceira ordem, de espíritos imperfeitos, há cinco classes de espíritos.

Alguns deles são neutros, ou seja, não praticam o bem nem o mal, enquanto outros possuem fortes tendências perversas.

Esses espíritos, que não têm total consciência de Deus, podem ser ajudados por meio de sessões mediúnicas.

Durante a reunião, os médiuns convocam espíritos superiores para somar esforços.

Eles unem energias positivas para ajudar os desencarnados a refletirem sobre as suas ações e buscarem seu progresso, ainda que no mundo espiritual.

Quais são os tipos de comunicações que ocorrem durante uma reunião mediúnica?

Como comentado nos primeiros tópicos deste conteúdo, a reunião mediúnica pode ter diferentes objetivos.

Conheça a seguir quais são os tipos de comunicação promovidos durante os encontros:

1. Desobsessão

A obsessão espiritual é a ação persistente de um espírito mau sobre alguém.

O obsessor, normalmente, é cruel, malicioso e inconsequente, e, com isso, pode provocar danos fisiológicos e emocionais no obsediado.

Em graus leves, a obsessão espiritual pode ser eliminada apenas com a adoção de alguns hábitos para elevar o padrão vibratório.

Entretanto, em casos mais graves, a desobsessão em um centro espírita é recomendada.

Nesse caso, o médium serve de intermediário ao espírito obsessor e o dialogador (encarnado) conversa com o espírito de forma a erradicar ou dissuadi-lo da influência sobre o encarnado.

2. Orientação

Outro tipo de comunicação que pode ser realizado em reuniões mediúnicas é o de orientação.

Nele, o objetivo é se conectar com os guias espirituais para receber direcionamentos.

Os guias também são capazes de promover valiosos ensinamentos para a humanidade.

Emmanuel e Joanna de Ângelis, guias espirituais de Chico Xavier e Divaldo Franco, respectivamente, são grandes exemplos de seres iluminados que nos trazem importantes aprendizados por meio de suas mensagens e livros psicografados.

3. Mensagens para familiares – conforto

A psicofonia e a psicografia, da qual já mencionamos, podem ser exploradas para trazer conforto aos entes queridos de espíritos desencarnados.

Nesse caso, o médium se conecta com o espírito, ou com um intermediário, para colher notícias de familiares falecidos.

Quando há permissão para se comunicar, os espíritos enviam mensagens, que podem ser transmitidas em fala pelo médium (psicofonia) ou através de cartas (psicografia).

4. Mensagens de espíritos sofredores

Alguns espíritos, quando desencarnam, não se dão conta de que a experiência no corpo físico chegou ao fim e que continua a viver após a morte.

Assim, ficam vagando pela Terra e continuam apegados à matéria.

Essa dificuldade em lidar com a passagem pode causar muita dor e sofrimento.

Nas reuniões mediúnicas, então, os médiuns ajudam os espíritos a compreenderem a morte e solicitam auxílio para o encaminhamento deles aos locais de refazimento e esclarecimento no mundo espiritual.

Passe na reunião mediúnica

Ao final das reuniões mediúnicas, a prática do passe espírita é bastante comum.

Como explica Emmanuel no livro O Consolador (Psicografia de Chico Xavier) questão de nº 98, assim:

“(…) como a transfusão de sangue representa uma renovação das forças físicas, o passe é uma transfusão de energias psíquicas, com a diferença de que os recursos orgânicos são retirados de um reservatório limitado, e os elementos psíquicos o são do reservatório ilimitado das forças espirituais”.

Ou seja, o passe espírita é uma transfusão de energias, realizada por meio da imposição das mãos sobre o receptor, que auxilia na recuperação da saúde física, psíquica e emocional do indivíduo.

Embora todos possam recebê-lo, apenas as pessoas capacitadas podem concedê-lo.

O passe, embora tenha propriedades curadoras, não é um solucionador.

Trata-se apenas de auxílio.

É comum ainda que, durante o passe, um recipiente com água seja colocado para a fluidificação do líquido.

Prece no momento do passe

Durante o passe, enquanto o aplicador impõe as mãos sobre o receptor, ele deve emanar pensamentos favoráveis, sentimentos próprios de bem-estar, de renovação física, psíquica e emocional.

O indivíduo que está recebendo a doação, por sua vez, também deve se conectar aos bons espíritos, fazendo isso por meio da prece.

Conclusão

Como Jesus disse: “Em qualquer lugar em que se encontrem duas ou três pessoas reunidas em meu nome, aí eu estarei no meio delas” (Mateus, Cap. XVIII, v. 20).

Embora a reunião mediúnica tenha diversos objetivos, todos eles estão relacionados à caridade, à educação, ao esclarecimento e à bondade infinita de Deus.

Afinal, o mundo espiritual e o físico, bem como tudo o que os compõem, são obras do amor divino.

O que marca a reunião espírita é a presença da mediunidade, já que, por meio dela, é possível se conectar aos desencarnados.

Gostou deste conteúdo sobre reunião mediúnica? Então, aproveite o espaço ao final do texto para escrever o seu comentário.

Se ficou com alguma dúvida, entre em contato conosco.

E, ainda, se quiser ver outro tema sendo abordado por aqui, faça uma sugestão de assunto para a nossa equipe pelo formulário de contato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *