Umbral: o que é e para que serve, na visão do Espiritismo?

Um termo muito utilizado dentro do vocabulário espírita é Umbral, termo que não faz parte do vocabulário original da Codificação Espírita e com a evolução da própria mediunidade de grandes mulheres e homens no campo da mediunidade, os Espíritos começaram esclarecer e brindar mais detalhes sobre como seria a vida no além.

Seria assim que nos livros do apóstolo do Espiritismo Chico Xavier, Espíritos como André Luiz e Emmanuel utilizam esta terminologia para fazer uma imagem mental do que estão tratando de esclarecer.

Durante o aprendizado da Doutrina Espírita, um dos termos que são logo apresentados é o Umbral.

No início, dependendo do nível de conhecimento e das crenças anteriores do estudante de Espiritismo, o entendimento pode ser mais difícil.

Mas não se preocupe.

Preparamos este artigo, justamente, para apoiar a sua compreensão sobre o que é o Umbral.

Acompanhe nas próximas linhas!

Umbral significado

A palavra umbral é de origem espanhola e é usada para designar a ombreira da porta que separa um cômodo do outro.

Ela é sinônimo de entrada, ádito, limiar, porta e ombreira.

Embora seja interessante conhecer o conceito, o termo ganhou outro significado na Doutrina Espírita.

A seguir, você vai entender o que é o Umbral pelo Espiritismo.

O que é o Umbral segundo o Espiritismo?

No Espiritismo, Umbral se refere a um estado ou lugar de transição onde os Espíritos que não souberam aproveitar a oportunidade de evolução na Terra são encaminhados provisoriamente.

Essa definição vem do Espírito André Luiz na obra Nosso Lar, psicografada pelo médium Chico Xavier.

O Umbral, portanto, é um local do mundo espiritual onde se encontram os Espíritos inferiores após a desencarnação.

Por que alguns Espíritos passam pelo Umbral?

O mundo espiritual é composto por diversos lugares que vibram em faixas específicas.

Isso quer dizer que existem diferentes destinos e cada um deles abriga os Espíritos desencarnados de acordo com o grau de evolução espiritual.

O Umbral, como vimos, é morada provisória de Espíritos que não progrediram durante a passagem pela Terra.

Ou seja, vão para o Umbral aqueles que cometeram delitos morais enquanto estavam encarnados.

A maioria dos Espíritos, após desencarnados, passam pelo Umbral para refletir sobre suas falhas durante a vida física.

Quais os tipos de comportamento podem levar ao Umbral?

É um erro acreditar que só os Espíritos de classes muito inferiores vão ao Umbral.

A exemplo do Espírito André Luiz, que era médico e não foi uma pessoa má, e ainda assim ficou longos anos no Umbral.

Evidentemente, aqueles que cometem atos violentos e ilícitos na vida terrena têm razões mais do que justificáveis para o destino.

Mas a verdade é que todo Espírito que carrega fardos psíquicos e emocionais também vai para o Umbral.

Portanto, quem guarda mágoas e culpas e acumula sentimentos ruins e pensamentos negativos fica no Umbral até expurgar os fardos.

Além dos que causaram infelicidade a alguém, os que possuíam vícios e comportamentos auto-destrutivos também fazem uma passagem pelo local.

Umbral: um vale dos suicidas

Quando nos referimos a comportamentos auto-destrutivos, também incluímos aqueles que são capazes de tirar a própria vida.

O suicídio, para o Espírito, não é apenas o atentado fatal contra o corpo de maneira consciente.

É também uma ação inconsciente, que ocorre por uma sucessão de maus hábitos.

Para ficar mais fácil de compreender, vamos ao exemplo de André Luiz.

Ele foi considerado um suicida por excessos na alimentação, abuso de bebidas alcoólicas e outros hábitos ruins sustentados durante a vida na Terra.

Beber excessivamente, comer em demasia, usar drogas e ter descontrole emocional são algumas das formas de suicídio inconsciente.

No Umbral, existe um lugar específico para quem comete suicidio: o Vale dos Suicidas.

Quem acaba com a própria vida, normalmente, faz isso pensando em se livrar de uma dor.

Mas, como a alma é imortal e o Espírito permanece vivo, há continuidade no plano espiritual.

O sofrimento e a angústia que dominam seus pensamentos não cessam após a morte do corpo físico.

No Vale dos Suicidas, os Espíritos se agrupam por afinidade, assim como em outras regiões.

5 livros sobre o Umbral

Para conhecer melhor o Umbral, as leituras podem ajudar.

Eles trazem a visão de Espíritos que já passaram por essa região de sofrimento.

Veja a seguir algumas sugestões de livros:

1 – Memórias de um suicida

Neste livro, psicografado pela médium Yvonne Pereira, o Espírito Camilo Castelo Branco conta a sua dolorosa experiência após a desencarnação.

Ele havia cometido suicídio depois de ter ficado cego e foi encaminhado ao Vale dos Suicidas.

Na obra, o Espírito descreve o local, tudo o que viveu e narra histórias paralelas.

2 – Nosso Lar

Nosso Lar é um clássico romance espírita, psicografado por Chico Xavier, pela autoria do Espírito André Luiz.

É um dos mais importantes livros que relatam o mundo espiritual e o Umbral.

Ao desencarnar, André Luiz acorda no Umbral e por lá permanece durante anos.

3 – Acordei no Umbral

Acordei no Umbral é um livro de Osmar Barbosa em que o médium faz perguntas a seu mentor Lucas.

Ele questiona sobre o que acontece após a morte dos médiuns, quem vai para o Umbral e o porquê falham os intermediários da comunicação entre mundo espiritual e corporal, dentre outros questionamentos.

4 – Confissões de um suicida

Este livro é de autoria do Espírito Helena e foi psicografado por Maria Nazareth Dória.

Confissões de um suicida conta a história de José Carlos, um trabalhador rural que não soube lidar com a morte da esposa e se rendeu às tentações, comentendo suicídio por enforcamento.

Na esperança de encontrar sua esposa, ele acorda em um lugar diferente e descobre que nem tudo é como imaginava.

5 – Cinco dias no Umbral

Ao contrário das quatro outras obras, em Cinco dias no Umbral, de Osmar Barbosa, o Espírito desencarnado não acorda no Umbral.

Nina Brestonini, uma jovem de 24 anos, é levada para uma enfermaria da colônia Amor e Caridade.

Depois de se recuperar da passagem, ela é convidada para uma missão de resgate no Umbral.

Cinco Dias no Umbral é uma coletânea composta por três livros:

  • Volume 1: Cinco Dias no Umbral
  • Volume 2: Cinco Dias no Umbral – O Resgate
  • Volume 3: Cinco Dias no Umbral – O Perdão.

A experiência no Umbral

O Umbral não é igual para todos, visto que o destino é o estado de consciência do ser e, por lá, existem núcleos que funcionam como separações.

O Vale dos Suicidas, como já falamos anteriormente, é um lugar dedicado àqueles que tiraram a própria vida.

Entretanto, embora haja núcleos, de acordo com os Espíritos que relatam a passagem pelo local, no geral, o Umbral é um lugar frio e cinzento.

Os Espíritos que ali habitam ficam vagando e sofrendo.

A dor que apresentam, muitas vezes, são semelhantes às físicas que sentiam na Terra.

No tempo em que ficam pelo Umbral, os Espíritos permanecem cultivando as mágoas e outros sentimentos ruins que os acompanharam também na vida terrena.

Como evitar o Umbral?

Se o Umbral é um lugar para o qual vão os Espíritos que não souberam aproveitar a chance de evolução na Terra, fica clara a condição necessária para evitá-lo, não é mesmo?

A Terra é um planeta de provas e expiações.

Isso significa que reencarnamos aqui para buscar o nosso adiantamento espiritual.

Somos colocados o tempo todo diante de desafios que testam a nossa capacidade de seguir os princípios morais.

Portanto, devemos encarar a vida na Terra como uma oportunidade de crescimento para o nosso Espírito.

Além de praticarmos o bem ao próximo, também é essencial cuidar de si mesmo.

Evitar hábitos destrutivos ao corpo, exercitar o perdão e a caridade, não guardar mágoas e rancores são algumas formas de buscar a progressão e, com isso, ficar mais distante do Umbral.

Como sair do Umbral? Momentos de revelação e consciência

O Umbral é um lugar transitório.

Ou seja, não é uma morada definitiva.

É possível sair dele e ir para um local com vibração mais alta.

Para deixar o Umbral, o Espírito precisa refletir sobre as razões que o encaminharam até ali.

Ter consciência da vida na Terra é o primeiro passo.

Além disso, o Espírito deve se arrepender verdadeiramente de seus atos e demonstrar interesse e vontade de mudar.

Pedir ajuda aos Espíritos superiores também é importante.

Com todas essas ações, o Espírito pode esperar um resgate dos seres de luz.

Estes virão levá-lo embora da região de sofrimento para socorro e tratamento.

No mundo espiritual, o Espírito continua buscando a evolução, além de se preparar para uma nova oportunidade.

Ou seja, a reencarnação.

Conclusão

E, então, agora está mais claro o que é o Umbral?

Como vimos neste artigo, essa região de sofrimento é uma esfera do mundo espiritual destinada aos Espíritos que não alcançaram o adiantamento na vida terrena.

Diversas razões impedem a evolução espiritual, e não são apenas deslizes graves.

 

Pequenos atos que não condizem com os ensinamentos de Cristo também atrasam a progressão.

Por isso, é importante praticar os valores morais, eliminando qualquer pensamento e sentimento ruim que possa surgir.

Assim, ao seguir rumo à evolução, as chances de se manter distante do Umbral são maiores.

E se, porventura, acordar nesta região, lembre-se de que para deixá-la é preciso se recolher e se redimir pelos erros.

 

Gostou deste conteúdo sobre o Umbral? Então, aproveite o espaço ao final do texto para escrever o seu comentário.

Tem outro tema que gostaria de ver por aqui? Faça uma sugestão de assunto para a nossa equipe pelo formulário de contato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *