As principais Parábolas de Jesus: As MAIS LINDAS da Bíblia

Provavelmente, você já tenha se deparado com alguma das parábolas de Jesus.

Afinal, Jesus Cristo usava essa narrativa alegórica que transmite uma mensagem indireta, por meio de comparação ou analogia e assim  ensinar os seus discípulos e o povo que o acompanhava.

Embora tenham sido muito utilizadas na época em que Jesus esteve na Terra, as parábolas são lições valiosas também para os dias atuais.

Neste artigo, trouxemos os ensinamentos das parábolas mais lindas da Bíblia.

Acompanhe!

Quais são as parábolas bíblicas de Jesus?

As parábolas são narrativas que ajudam a explicar assuntos complexos de um jeito mais simples. Na época de Jesus, nem todos entendiam suas palavras e era preciso dar exemplos e criarem-se figuras que permitissem a todos compreenderem os ensinos morais e as verdades espirituais trazidas por Êle.

Em O Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec no Cap. XXVI, item 6, afirma que: Jesus somente se exprimiu por parábolas sobre as partes de certo modo abstratas da sua doutrina. Tendo feito, porém, da caridade para com o próximo e da humildade condições básicas da salvação, tudo o que disse a esse respeito é inteiramente claro, explícito e sem ambiguidade alguma.

Nas parábolas, ao utilizar a relação de semelhança entre elementos desconhecidos e conhecidos, elas facilitam o entendimento do interlocutor.

Dentre as parábolas mais conhecidas estão as bíblicas, as que foram proferidas por Jesus Cristo se encontram narradas em diversos evangelhos.

Das quarenta e duas parábolas que constam na Escritura Sagrada, duas estão no Antigo Testamento e quarenta no Novo Testamento.

Antigo testamento

  • A ovelha
  • O vinhedo

Novo testamento

  • 1. O bom samaritano — Lucas 10,29-37
  • 2. A ovelha perdida — Lucas 15,4-7
  • 3. A moeda perdida — Lucas 15,8-10
  • 4. O filho (perdido) pródigo — Lucas 15,11-32
  • 5. O mordomo infiel— Lucas 16,1-13
  • 6. O homem rico e Lázaro — Lucas 16,19-31
  • 7. Os servos — Lucas 17,7-10
  • 8. A viúva e o juiz — Lucas 18,2-5
  • 9. Os talentos — Lucas 19,12-27
  • 10. Os lavradores maus — Lucas 20,9-16
  • 11. A roupa nova — Lucas 5,36
  • 12. O vinho novo — Lucas 5,33-39; Mateus 9:14-17 e Marcos 2:18-22
  • 13. Os dois alicerces — Lucas 6,47-49
  • 14. Os dois devedores — Lucas 7,41-43
  • 15. O semeador — Lucas 8,4-8; Mateus 13:1-9 e Marcos 4:3-9
  • 16. A lamparina — Lucas 8,16-18
  • 17. Os empregados alertas — Lucas 12,35-40
  • 18. O amigo persistente — Lucas 11,5-8
  • 19. O rico insensato— Lucas 12,13-21
  • 20. O empregado fiel — Lucas 12,42-48
  • 21. A figueira sem figos — Lucas 13,6-9
  • 22. A figueira sem folhas — Lucas 21,29-31
  • 23. A semente de mostarda — Lucas 13,18-19
  • 24. O fermento — Lucas 13,20-21
  • 25. Os convidados para festa de casamento — Lucas 14,7-14
  • 26. A grande festa — Lucas 14,28-33
  • 27. A construção duma torre — Lucas 14,28-33
  • 28. O fariseu e o cobrador de impostos — Lucas 18,10-14
  • 29. O retorno do proprietário — Marcos 12,1-9
  • 30. A semente que cresce — Marcos 4,26-29
  • 31. O joio — Mateus 13,24-30
  • 32. O tesouro escondido — Mateus 13,44
  • 33. A pérola — Mateus 13,45-46
  • 34. A rede — Mateus 13,47-48
  • 35. O credor imcompassivo — Mateus 18,23-35
  • 36. Os trabalhadores no vinhedo — Mateus 20,1-16
  • 37. Os dois filhos — Mateus 21,28-31
  • 38. A festa de casamento — Mateus 22,2-14
  • 39. As dez virgens — Mateus 25,1-13
  • 40. As ovelhas e as cabras — Mateus 25,31-36

Qual Evangelho tem mais parábolas?

A Bíblia é uma espécie de biblioteca.

Isso porque ela reúne diversos livros em um só.

Por essa razão, muitas passagens são repetidas.

As parábolas, por exemplo, costumam ser reproduzidas em diversos Evangelhos.

Contudo, o Evangelho de Lucas é o que registra o maior número.

Por que Jesus ensinava com parábolas?

Jesus Cristo usava parábolas para promover valiosos ensinamentos.

Com histórias do cotidiano dos discípulos e comuns ao povo, ele conseguia transmitir lições morais de maneira simples.

Naquela época, a humanidade carecia de intelecto e moral e, por essa razão, o método de ensino assim realizado, era muito importante. Através das parábolas os ensinamentos poderiam ser mais facilmente transmitidos de geração em geração.

Parábolas de Jesus mais importantes da Bíblia

Como vimos até aqui, Jesus proferiu  40 parábolas e alguns autores consideram duas passagens como parábolas também.

Embora todas elas sejam significativas, algumas passagens ganharam mais destaque, sobretudo pelos ensinamentos proporcionados.

Conheça a seguir as parábolas de Jesus mais importantes:

A Parábola do Bom Samaritano

A Parábola do Bom Samaritano (Lucas 10:29-37) é uma lição de amor ao próximo.

Ao ser questionado por um doutor da lei sobre o que é preciso fazer para herdar a vida eterna, Jesus respondeu:

Ame o Senhor, o seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todas as suas forças e de todo o seu entendimento e ame o seu próximo como a si mesmo.

Para exemplificar o amor ao próximo, Jesus contou a história de um homem que havia sido pego por assaltantes, que o levaram tudo e o machucaram.

Um sacerdote e um levita que passaram pelo mesmo caminho não o ajudaram, mas um samaritano que veio logo depois prestou socorro ao homem.

A parábola, além de mostrar na prática o amor ao próximo, também nos faz refletir que a compaixão pode vir de quem menos se espera.

Assim como o caso do samaritano, que foi o único disposto a ajudar, diferentemente dos outros, dos quais mais se imaginava pelos seus deveres com a sociedade.

Parábola do Credor Incompassivo

A Parábola do Credor Incompassivo (Mateus 18:23-35) nos ensina sobre o perdão.

Nesta narrativa, Jesus fala de um rei que foi piedoso com seu servo e perdoou suas dívidas.

Este, por sua vez, não seguiu o mesmo exemplo com quem lhe devia, e ordenou que seu conservo fosse punido, indignando a todos, principalmente o rei, que disse que assim também faria o pai celestial se o perdão não fosse verdadeiro.

A parábola mostra que aquele que tem misericórdia é tratado por Deus da mesma maneira.

Por outro lado, aquele que não perdoa os seus irmãos de coração, deve esperar pelo tratamento igual ao que pratica, ou seja, o julgamento de seus erros e faltas.

A Parábola do Semeador

A Parábola do Semeador (Mateus 13:1-9, Marcos 4:3-9 e Lucas 8:4-8) expõe as formas que a mensagem da salvação é recebida.

À beira de um lago, na Galileia, Jesus conta aos seus discípulos que um semeador saiu para semear e, durante o trajeto, deixou cair as sementes por locais distintos.

As que caíram ao pé do caminho foram comidas pelas aves.

Já as que caíram em terrenos rochosos e espinhosos foram perdidas, e as que caíram em solo fértil cresceram e se multiplicaram.

Nessa história, Jesus é o semeador, o Evangelho é a semente e os solos são diferentes corações ou tipos de mentalidade espiritual.

A parábola, portanto, tem a intenção de mostrar que cada um de nós reage à palavra (semente) de acordo com o nosso grau de evolução (solo).

O semeador, por sua vez, deve continuar espalhando o Evangelho, independentemente dos campos de semeadura que encontra pela frente.

Parábola do Vinho Novo em Odres Velhos

A Parábola do Vinho Novo em Odres Velhos (Mateus 9:14-17, Marcos 2:18-22 e Lucas 5:33-39) faz parte de um par de parábolas.

Os discípulos de João perguntaram a Jesus porque eles e os discípulos dos fariseus jejuavam, mas os dele não.

Jesus, então, respondeu dizendo que ninguém faz remendo com pano novo em veste velha porque ele encolhe e rasga a roupa, assim como não se coloca vinho novo em odres velhos porque os odres estragam e entornam o vinho.

Com isso, ele quis ensinar que, para operar no bem, seguindo os ensinamentos cristãos, é preciso romper velhos comportamentos e criar novas bases para a transformação.

Parábola do Ladrão de Noite

A Parábola do Ladrão de Noite (Mateus 24:42-44) é bem curta, mas provoca uma importante reflexão acerca da vigilância.

Nela, Jesus diz que é preciso vigiar, pois não sabemos quando o senhor virá, assim como um pai de família não sabe que horas um ladrão pode aparecer no meio da noite.

Vigiar, no Evangelho, não significa ficar de vigília sobre alguém ou algo, mas, sim, sobre si mesmo.

É manter a atenção sobre todos os pensamentos e atitudes praticadas aqui na Terra.

Parábola do Mordomo Infiel

Também chamada de Parábola do Mordomo ou Administrador Infiel (Lucas 16:1-13), esta parábola, além de um conselho sobre a forma de viver, é um sermão sobre o mau uso das riquezas.

Jesus conta a história do mordomo (administrador) de um homem rico, que estava prestes a ser demitido após ter sido descoberto esbanjando as riquezas de seu patrão.

Eis que, com medo de não conseguir outro trabalho, ele decide dar descontos aos devedores para que pagassem as suas dívidas.

Os devedores, acreditando que o desconto havia sido aprovado pelo credor, ficaram felizes.

E, assim, o administrador construiu relacionamentos com esses homens.

O patrão, então, reconhece o administrador pelo seu ato.

A moral desta parábola não é tão simples de ser entendida, até porque, se vista ao pé da letra, a história pode dar a entender que a atitude de fraude do administrador foi louvável.

Quando, na verdade, é o auxílio aos semelhantes em suas necessidades que merece aprovação.

Em outras palavras, temos que aprender a lidar com os bens que dispomos com benevolência , e jamais com egoísmo.

Parábola da Ovelha Perdida

A Parábola da Ovelha Perdida (Mateus 18:10-14 e Lucas 15:1-7) é uma breve parábola que Jesus contou após os fariseus e os líderes religiosos terem o acusado de receber e fazer suas refeições com “pecadores”.

A narrativa se baseia em um homem com 100 ovelhas que percebeu que uma havia se perdido.

Ele, então, decide sair em busca da ovelha perdida e deixa as outras 99 no campo.

Quando, finalmente, encontra a ovelha perdida, o homem a leva de volta para casa e pede que todos se alegrem como ele, dizendo ainda:

Eu lhes digo que, da mesma forma, haverá mais alegria no céu por um pecador que se arrepende do que por noventa e nove justos que não precisam arrepender-se.

A Parábola da Ovelha Perdida, portanto, ensina que a salvação de um pecador é motivo de comemoração no plano espiritual, e que os justos já conhecem as escrituras e portanto já estão no caminho do bem

.

Parábola do Rico Insensato

A Parábola do Rico Insensato (Lucas 12:13-21) é uma verdadeira lição sobre a relação da humanidade com o materialismo.

Jesus contou à multidão que a terra de um homem produziu muito e, diante disso, decidiu derrubar os celeiros e construir outros maiores para guardar as safras e seus bens por muitos anos.

Então, Deus lhe disse que viria exigir a vida do homem naquela mesma noite e, com isso, tudo aquilo deixaria de ser dele.

A parábola termina com a seguinte mensagem: “É o que acontece àquele que acumula tesouros para si próprio e que não é rico diante de Deus”.

Leia também o capítulo XVI – Não se pode servir a Deus e a Mamon,  de O Evangelho Segundo o Espiritismo para a interpretação desta parábola.

Parábola dos Dois Devedores

A Parábola dos Dois Devedores (Lucas 7:36-50) é uma mensagem sobre perdão e gratidão.

Ela foi proferida durante um jantar na casa do fariseu Simão.

Uma mulher pecadora, sabendo que Jesus estava lá, entrou com um vaso de alabastro contendo unguento e começou a molhar os pés do Senhor com suas lágrimas e a enxugá-los com seus cabelos.

Ao ver a situação, Simão disse a Jesus que se ele fosse um profeta saberia que estava sendo tocado por uma pecadora.

Jesus, então, contou a parábola sobre um credor que perdoou a dívida de dois homens.

Um lhe devia quinhentos denários (moeda da época equivalente ao salário diário do trabalhador) e o outro, cinquenta.

Ao finalizar a história, Jesus questiona Simão sobre qual devedor ele acredita ser mais grato.

Simão responde que aquele a quem foi perdoada a maior dívida.

Assim, Jesus explica que a mulher o ama mais do que os seus anfitriões, justamente por ter sido perdoada de pecados maiores.

Explicação da Parábola do Joio e do Trigo

Na Parábola do Joio e do Trigo (Mateus 13:24-30), Jesus fez uma comparação entre o reino dos céus e a lavoura de um homem.

Em suas palavras, disse que o reino dos céus é semelhante ao homem que semeia boa semente no seu campo.

Como os seus discípulos não haviam entendido a moral da história, pediram que Jesus explicasse.

Jesus, então, esclareceu a eles que o semeador é o filho do homem (ou seja, ele próprio), a boa semente é o filho do reino e o joio é o filho do mal.

O joio, embora esteja misturado na lavoura, é distinguido da boa semente e permanentemente separado dela no momento da ceifa.

Assim como o bem e o mal que crescem juntos, mas, no final, sabe-se quem agiu de acordo com os ensinamentos cristãos e quem seguiu pelo caminho tortuoso, pois na nossa consciência está escrita a Lei de Deus

Parábolas de Jesus – O filho pródigo

O Filho Pródigo (Lucas 15:11-32) é uma das parábolas de Jesus mais conhecidas.

Nela, ele ensina que os prazeres, longe do caminho da retidão, são temporários e se transformam em desconforto e tristeza.

A parábola conta a história de um homem que tinha dois filhos.

O mais novo pediu a herança do pai e, após receber a sua parte, partiu para uma região distante.

Após gastar todos os bens, e não conseguindo se sustentar, voltou à casa do seu pai.

Este, por sua vez, o recebeu de braços abertos e até promoveu um banquete em comemoração à volta do filho.

O mais velho, vendo a situação, indignou-se, mas logo entendeu que a razão da felicidade do pai era pelo retorno do irmão, e não pelos erros cometidos.

Palestra de Divaldo Franco sobre as parábolas de Jesus

Divaldo Franco, um dos maiores médiuns brasileiros, é também um excelente palestrante espírita.

Com sua didática, ele ajuda a humanidade a entender assuntos importantes que, muitas vezes, podem ser complexos. E com seus exemplos de trabalho nos convoca à prática da caridade em qualquer situação.

Dentre os temas abordados em seus ensinos estão as parábolas de Jesus.

Neste vídeo, é possível acompanhar a explicação dele sobre o tema:

Parábolas para crianças

As parábolas de Jesus podem ser de difícil entendimento para as crianças.

Entretanto, é importante que elas sejam compartilhadas com os pequenos.

Para o público infantil, o ideal é abordar os assuntos de forma lúdica.

As parábolas em quadrinhos, por exemplo, ajudam a potencializar o aprendizado.

Além disso, atividades que envolvem desenho, música e outros exercícios manuais podem ser muito úteis para assimilar o conteúdo.

Aproveite e conheça o conteúdo da FEB – Federação Espírita Brasileira sobre o EADE – Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita que dispõe um grande conteúdo e apostilas gratuitas sobre o tema deste artigo.

Link: https://www.febnet.org.br/portal/2019/07/04/estudo-aprofundado-da-doutrina-espirita-eade/

Todas as parábolas da bíblia (PDF)

Ficou interessado em ler as parábolas da Bíblia?

Neste PDF, você encontra todas as parábolas que foram contadas por Jesus.

Conclusão

Viu só como as parábolas de Jesus ensinam lições valiosas?

A moral do Cristo  também nos inspira a andar no caminho da prática da caridade, do amor e da fé.

Portanto, vale a pena se dedicar à leitura e à reflexão sobre o conteúdo de cada uma delas.

Gostou deste conteúdo sobre parábola? Então, aproveite o espaço ao final do texto para escrever o seu comentário.

Tem outro tema que gostaria de ver por aqui? Faça uma sugestão de assunto para a nossa equipe pelo formulário de contato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *