Escala Espírita: qual é a classificação dos espíritos? (Allan Kardec)

Você já ouviu falar alguma vez sobre a escala espírita?

Esse tema é importante para entendermos as condições dos espíritos e a razão de muitos acontecimentos na Terra.

Além disso, a escala espírita tem relação direta com a reencarnação, já que habitamos novos corpos para subir mais degraus na escada da evolução.

Se você busca o seu progresso, é fundamental conhecer a forma que os espíritos são catego30rizados.

Portanto, continue acompanhando este artigo e fique por dentro da classificação espírita e do que ela representa para a humanidade.

Boa leitura!

Escala Espírita: o que é, afinal?

A escala espírita é, segundo Kardec em O Livro dos Espíritos (Parte Segunda, Capítulo 1 – Dos Espíritos), a classificação da categoria  ou ordem dos espíritos baseada em seu grau de perfeição ou de adiantamento que tenham alcançado.

Isto é, os espíritos são categorizados pelas faculdades adquiridas e pelas imperfeições das quais ainda precisam se livrar.

Existem inúmeros graus de evolução dentro da escala espírita.

Portanto, não é possível dimensionar com exatidão cada um dos níveis e suas características.

Entretanto, de acordo com os espíritos que auxiliaram Kardec na codificação espírita, a classificação pode ser resumida a três categorias principais, também chamadas de ordens.

Além das ordens, há também as classes, que são uma espécie de subdivisões.

Classificação da Escala Espírita

Como vimos no tópico anterior, a escala espírita é composta de três ordens e, em cada uma delas, há classes.

No total, são 10 classes de espíritos.

Todas as classes recebem nomes de acordo com as características dos espíritos que a compõem.

Espíritos Puros (1ª ordem)

Os espíritos puros pertencem à primeira ordem da escala espírita.

A principal característica que distingue essa categoria das demais é a superioridade intelectual e moral.

Esses espíritos não sofrem qualquer tipo de influência da matéria e vivem em plena felicidade.

Puros (1ª classe)

Diferentemente das outras ordens, a primeira compreende apenas uma classe.

Podemos dizer, portanto, que os espíritos puros são os seres mais evoluídos que realizam a vida eterna no seio de Deus.

Em suas jornadas, esses espíritos despojaram de todas as imperfeições de que é suscetível a criatura.

Por terem alcançado a superioridade, não precisam mais reencarnar e suportar provas ou expiações.

Ainda assim, têm as suas missões a cumprir.

São os mensageiros e ministros de Deus. Comandam a todos os Espíritos que lhes são inferiores, auxiliam-nos na obra de seu aperfeiçoamento e lhes designam as suas missões. Auxiliam os homens nas suas aflições, concita-os ao bem ou à expiação das faltas que os conservam distanciados da suprema felicidade.

Bons Espíritos (2ª ordem)

A segunda ordem é a de bons espíritos.

Ainda que a primeira ordem também acolha espíritos do bem, os da segunda ordem , por sua vez, ainda não atingiram as grandezas suscetíveis da criatura.

Embora haja predominância do bem, eles não estão ainda completamente desmaterializados, conservando características da existência corporal, na forma, nos hábitos, linguagem e algumas manias.

Entretanto, compreendem Deus, influenciam positivamente os encarnados e desfrutam da felicidade dos bons.

Os bons espíritos são chamados popularmente de gênios bons, gênios protetores e Espíritos do bem.

Eles se dividem nas seguintes classes:

Espíritos Superiores (2ª classe)

A superioridade desses espíritos se destaca em relação aos demais.

Eles são capazes de unir a ciência, a sabedoria e a bondade.

Nos casos de reencarnação, vêm para Terra servir de exemplo à humanidade.

Espíritos de Sabedoria (3ª classe)

Os espíritos de sabedoria se distinguem pelas qualidades morais elevadas.

Além disso, como o nome sugere, são dotados de capacidade intelectual.

Esse intelecto os permite fazer bons julgamentos sobre os homens e as coisas.

Espíritos Sábios (4ª classe)

Já os espíritos sábios são caracterizados pela extensão de seus conhecimentos.

Diferentemente dos espíritos da sabedoria, as questões científicas são prioridade para os sábios.

Não que o sentido moral seja esquecido.

É que pelas aptidões relacionadas à ciência, ele se torna uma preocupação menor.

Espíritos Benevolentes (5ª classe)

Os espíritos benevolentes, que correspondem à última classe dos bons espíritos, se sobressaem pela bondade.

Entretanto, falta sabedoria a esses seres.

Sendo assim, as questões morais são predominantes às intelectuais.

Espíritos Imperfeitos (3ª ordem)

Na terceira e última ordem da escala espírita predominam os espíritos imperfeitos, cuja preocupação com a matéria é superior às questões espirituais.

Ao contrário do que muita gente possa imaginar, nem todos os espíritos imperfeitos são essencialmente maus.

Há, por exemplo, seres neutros, que não praticam o mal nem o bem.

Os espíritos imperfeitos não têm total compreensão de Deus e não experimentam a felicidade dos bons.

Eles se dividem em cinco classes:

Espíritos Batedores e Perturbadores (6ª classe)

Os espíritos batedores e perturbadores, embora sejam classificados assim, podem pertencer às demais classes da terceira ordem.

Isso porque eles não são caracterizados por qualidades pessoais, mas, sim, por manifestações físicas, como deslocamento de objetos, batidas e outros fenômenos.

Espíritos Neutros (7ª classe)

Os neutros, como o nome sugere, são os espíritos que pendem tanto para realizar o bem quanto para fazerem o mal e não ultrapassam a condição comum da humanidade.

Também são vagos no sentido intelectual e moral, já que não se destacam em nenhum deles.

Espíritos Pseudossábios (8ª classe)

Pseudo é um prefixo que indica falsidade, enganação.

Portanto, os espíritos pseudossábios são aqueles que se passam por grandes sábios, mas, na verdade, sabem menos do que mostram.

Eles iludem os outros e, principalmente, a si mesmos.

Espíritos Levianos (9ª classe)

Os espíritos levianos, por sua vez, são ignorantes, inconsequentes e zombeteiros.

Gostam de presenciar e de causar o tormento, por isso, usam de malícia para induzir outros espíritos a cometer deslizes.

Espíritos Impuros (10ª classe)

Chegamos à última classe da terceira ordem, considerada a menos evoluída na escala espírita.

Os espíritos que fazem parte desse nível são os impuros.

Eles são inclinados ao mal e usam de diversos artifícios para obsidiar outros espíritos, incluindo crueldade.

Por serem capazes de criar verdadeiros desastres, os espíritos impuros são chamados vulgarmente de demônios, gênios maus ou Espíritos do mal.

Como reconhecer em que grau da escala espiritual eu estou?

A grande maioria dos Espíritos reencarnados na Terra pertencem à Terceira Ordem – Espíritos Imperfeitos. Temos a predominância dos interesses  materiais sobre a busca das realizações espirituais. Ainda estamos presos às paixões e agimos ainda com egoísmo e orgulho o que tem nos levado às desigualdades sociais.

A humanidade se encontra desenvolvida nas ciências e tecnologia mas existem ainda bolsões de miséria e povos em estado próximos à selvageria. Esta realidade nos permite dizer que existem variados graus de desenvolvimento e evolução dos Espíritos reencarnados na Terra.

Estão entre nós, missionários, mas também inúmeras criaturas nos primeiros estágios evolutivos.

Como nossas ações não são exclusivamente voltadas para o bem, comprometemos nossas vidas com atos contrários às leis universais e isto acarreta que em um nova reencarnação teremos que ressarcir nossos compromissos.

O que cabe a nós é saber que pertencemos aos espíritos devedores , e isso fica claro pelo simples fato de estarmos reencarnados na Terra.

O nosso planeta é um mundo de provas e expiações e vivemos aqui para corrigir as nossas falhas e elevar o nosso espírito.

Temos, portanto, a consciência de que precisamos buscar a perfeição, independentemente do grau ocupado na escala espírita e do quanto falta para nos tornarmos seres de luz.

Mundo de regeneração

Você já ouviu falar em transição planetária?

Se sim, também já deve ter escutado algo sobre o que é um mundo de regeneração.

A transição planetária se trata de um ciclo caracterizado pela troca dos espíritos na Terra.

É uma fase em que os espíritos menos evoluídos dão lugar aos espíritos com maior grau de adiantamento.

Esses espíritos superiores serão os grandes responsáveis pelo progresso da humanidade.

Nós já estamos vivendo a transição planetária.

A Terra, que hoje é um lugar de provas e expiações, está se transformando em um lugar de regeneração.

Isso significa que o plano terrestre estará em uma nova dimensão moral e espiritual.

Ao que tudo indica, conforme as comunicações dos espíritos, a previsão de conclusão da transição é em torno de 2057 conforme o progresso moral que ocorra com os indivíduos e a sociedade como um todo.

Em um planeta renovado, o bem passará a preponderar sobre o mal. Aqueles espíritos que não se afinizem com a nova condição do orbe, reencarnarão em outros mundos habitados por espíritos com as mesmas características deles.

À medida que a mudança se aproxima, não é incomum experimentar sensações diferenciadas e presenciar fenômenos jamais vistos antes.

Divaldo Franco aborda toda essa transformação no livro No Rumo do Mundo de Regeneração, pelo espírito Manoel Philomeno de Miranda.

A obra é um lançamento e traz questões que ainda não foram tratadas em outras bibliografias.

Clique aqui para adquirir o livro.

Lei do progresso no Espiritismo

Se você é adepto do Espiritismo ou possui algum conhecimento sobre a Doutrina Espírita, sabe bem que existe  vida após a morte.

Nosso espírito reencarna quantas vezes for preciso para que possamos evoluir.

Além de nós mesmos, nosso papel é ajudar a Terra a progredir, no sentido de humanidade.

E nós somos dotados de intelecto para isso.

Deus nos deu a capacidade de impulsionar o progresso.

Mas, infelizmente, como somos seres imperfeitos, ainda cometemos atitudes que dificultam esse adiantamento.

Ainda assim, temos a perfeição divina na criação dessa lei do progresso, que não permite regressão no processo evolutivo, no máximo a estabilidade, e ninguém poderá deter a força  poderosa  do progresso.

Portanto, mesmo que em passos lentos, a Terra caminha em direção à uma nova dimensão.

E nós continuamos a seguir pela jornada da evolução espiritual.

Conclusão

E, então, você fazia ideia de como é a escala espírita?

Retomando o que tratamos neste artigo, a escala espírita é a classificação dos espíritos baseada no progresso adquirido.

Ela é composta de três ordens principais (a dos espíritos puros, dos espíritos bons e dos espíritos inferiores) e de 10 classes (sendo uma da primeira ordem, quatro da segunda ordem e cinco da terceira ordem).

Não somos capazes de reconhecer a qual delas pertencemos, mas, por vivermos no planeta Terra, sabemos que ainda fazemos parte de espíritos menos evoluídos, que ainda têm provas e expiações a suportar.

Diante desse conhecimento, qual será a sua atitude daqui para a frente?

Está mais disposto a andar no caminho do amor,  da fé e da caridade para alcançar o progresso?

Os fardos que carrega serão encarados de outro jeito agora?

Essa é a razão de estarmos aqui, habitando o nosso corpo atual.

Lembre-se disso e você viverá como Deus espera que o faça.

Gostou deste conteúdo sobre escala espírita? Então, aproveite o espaço ao final do texto para escrever o seu comentário.

Tem outro tema que gostaria de ver por aqui? Faça uma sugestão de assunto para a nossa equipe pelo formulário de contato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *