Pular para o conteúdo

Espiritismo: o que é, história, fundamentos e principais obras

espiritismo

Você conhece o significado de Espiritismo, o que ensina, principais livros, fundamentos e médiuns?

Não se preocupe se não tem essas respostas.

A Doutrina Espírita ainda é considerada bastante misteriosa para aqueles que não estão familiarizados com ela.

No entanto, a maioria das pessoas carrega bastante curiosidade sobre o Espiritismo.

Afinal, em algum momento, nos damos conta de nossa natureza espiritual e buscamos respostas que somente o estudo da doutrina pode nos dar.

Por isso, neste conteúdo, vamos contar a história do Espiritismo, seus fundamentos e principais obras.

Dessa maneira, será possível conhecer e buscar meios de se aprofundar na doutrina da fé raciocinada.

Acompanhe até o final!

O que é o Espiritismo?

O que é o Espiritismo?

O que é o Espiritismo?

No ano de 1854, o Professor Hippolyte Léon Denizard Rivail, um mestre na temática da educação e profundo estudioso do magnetismo, teve contato com as mesas girantes por convite de seu amigo Fortier.

Esse advento era a atração das noites francesas e considerado grande divertimento para a maioria das pessoas.

No entanto, aos olhos de um indivíduo sério, as mesas girantes causavam grandes questionamentos.

Allan Kardec afirma que “uma mesa sem nervos e cérebro não poderia apresentar uma resposta inteligente, até que me provem ao contrário”.

Logo, como cético que era, Kardec não poderia deixar essa situação sem um esclarecimento.

Por isso, começou a realizar inúmeros estudos e acabou por conhecer a Doutrina Espírita e tornar-se seu codificador.

Essa tarefa foi para ele muito penosa dentro de uma sociedade preconceituosa e fechada em seus próprios dogmas.

No entanto, ele foi persistente em codificar o que ensina o Espiritismo, explicitando que não era a mesa, mas sim os Espíritos que já habitaram a Terra, que davam as respostas e geraram profundas reflexões.

Dito isto, podemos dizer que o Espiritismo é uma doutrina cristã que nos ensina sobre a continuidade da vida após o desencarne e a importância da nossa evolução moral para que habitemos mundos mais elevados.

Significado do Espiritismo

 

O Espiritismo é uma doutrina filosófico-religiosa direcionada ao aprimoramento moral do homem através de ensinamentos transmitidos aos médiuns por espíritos desencarnados.

Médiuns são indivíduos encarnados que desenvolveram, por mérito moral, a habilidade de comunicar-se com Espíritos que habitam outros planos espirituais.

Além da definição técnica, para saber o que significa Espiritismo é necessário conhecer o conjunto de fenômenos e práticas relacionados à doutrina. É o que conheceremos nos próximos tópicos.

O que ensina o Espiritismo?

O que ensina o Espiritismo?

O Espiritismo ensina inúmeras questões fundamentais para que possamos compreender a nossa natureza espiritual de maneira lógica e sistêmica.

Primeiro, ele nos ensina sobre a imortalidade da alma, excluindo, dessa forma, a ideia de morte e concebendo-a como a passagem para um novo plano espiritual.

Logo, ao desencarnar, o Espírito se desprende do corpo físico e parte em direção ao plano espiritual que mais combina com sua vibração.

Além disso, a doutrina nos explica a importância de nosso aperfeiçoamento moral por meio do uso da lógica, na prática da fé raciocinada.

Isso significa que temos sim que questionar e buscar o fundamento de tudo o que se é estudado, bem como adotar uma postura de fé e caridade, nos aproximando dos ensinamentos de Jesus Cristo.

Outro conceito muito importante que o Espiritismo nos ensina é a pluralidade das existências e a relação entre o mundo corporal e espiritual.

Bem como a teoria dos fluidos perispirituais e as obsessões geradas por Espíritos que desejam atrapalhar nosso caminho de evolução.

Por fim, aprendemos a importância da prece e do magnetismo para cuidarmos de nossas vibrações e impedirmos que os espíritos menos esclarecidos nos influenciem.

Espiritismo, Doutrina Espírita ou Kardecismo?

Espiritismo, Doutrina Espírita ou Kardecismo?

Os três termos – Espiritismo, Doutrina Espírita e Kardecismo – podem ser utilizados para fazer menção à doutrina filosófica e científica que crê na evolução espiritual dos seres, por meio da pluralidade das existências.

O termo “Kardecismo” é utilizado em homenagem ao codificador Allan Kardec, que fez obras tendo como base um compilado de relatos de espíritos desencarnados através de médiuns.

Logo, os três termos estão corretos e podem ser utilizados no cotidiano.

Comunicação com os Espíritos

Nem todos os seres humanos possuem a mediunidade desenvolvida o suficiente para realizarem a comunicação com os Espíritos.

No entanto, a maioria dos indivíduos tem relatos muito vívidos de situações nas quais “ouvir a intuição” os ajudou a ficar em uma situação mais segura.

Essa experiência nada mais é do que um dos tipos de comunicação espiritual: os sinais.

Por meio deles há a manifestação física de alertas que devem ser considerados, por exemplo: sentir o perfume de um ente querido, objetos se movimentando, batidas e ruídos.

Esses sinais são formas que os espíritos utilizam para se comunicar.

Além disso, existe a escrita, habitualmente feita por um médium por meio da psicografia.

Nesse caso, o médium é um intermediário e anota as mensagens ditadas pelo espírito.

Existe ainda a comunicação por palavras, onde o Espírito assume o controle das cordas vocais do médium e transmite sua mensagem.

Esse tipo de comunicação é denominado psicofonia e pode acontecer somente por transmissão de pensamentos ou pela audição do médium, sem necessariamente haver o transe.

Para saber como se comunicar com o mundo espiritual é necessária muita oração e estudo da Doutrina Espírita.

Essa preparação deve ser feita com comprometimento e responsabilidade para que não haja a influência de espíritos menos esclarecidos.

Corpo, Espírito e Perispírito

O corpo é uma veste material necessária para abrigar o nosso perispírito enquanto estivermos encarnados.

Logo, o corpo é mais “grosseiro” e frágil, com limitações necessárias à nossa jornada evolutiva na Terra e resultantes de atos causados anteriormente.

Já o perispírito é um corpo fluídico “semimaterial” que se acopla ao corpo físico na experiência da encarnação e o abandona no momento do desencarne.

Consequentemente, ele é menos vulnerável que o corpo físico e mais sutil que o espírito.

Já o espírito é a parte imaterial dos seres.

Origem do Espiritismo

Origem do Espiritismo

Ainda existem muitos questionamentos sobre como surgiu o Espiritismo que iremos sanar agora.

A doutrina surgiu na França, após o advento das mesas girantes que chamou a atenção para possíveis fenômenos extra físicos.

Sua semente e germinação é a obra O Livro dos Espíritos e tantas outras codificadas por Allan Kardec, sob os cuidados do mestre Lion.

Essas obras geraram muitas curiosidades sobre o Espiritismo, que foi bastante desacreditado, ocasionando inúmeras perseguições ao nosso codificador.

No entanto, após tais esclarecimentos, fizeram profundas raízes se instalarem na cabeça dos homens e, no momento em que essa planta foi transferida para o solo brasileito, a sua essência permanece intocada.

Existem no Brasil grandes médiuns semeadores como Bezerra de Menezes, Chico Xavier e Divaldo Pereira Franco.

Allan Kardec

O nome verdadeiro de Allan Kardec era Hyppolyte Léon Denizar Rivail.

Ele nasceu na França em 1804 e era um grande estudioso, tanto que dedicou 30 anos de sua vida à educação.

Foi Bacharel em Letras, tradutor e educador. Escreveu inúmeras obras pedagógicas e uma clássica gramática francesa.

Após ser apresentado aos fenômenos das mesas girantes, decidiu pesquisar a fundo o que havia por trás daquele mistério.

Com isso, iniciou sua comunicação com os espíritos desencarnados por intermédio de médiuns.

Vindo a tornar-se o codificador da Doutrina Espírita.

Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas

Em 1858, Allan Kardec fundou a Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas e também a Revista Espírita.

Esse foi seu grande laboratório, no qual analisou mensagens, refutou críticas e observou a diversidade dos ensinamentos, até então, sobrenaturais.

Com a base estruturada em uma época em que filósofos e religiosos apresentavam críticas e descréditos sobre tantas ideias nascentes na época, O Livro dos Espíritos não somente ganhou a atenção e crédito dos estudiosos franceses, mas de religiosos.

Esses últimos se esforçaram para sufocar a ideia, tentando segurar o progresso da consciência, dominada até a pouco pela fé cega, e o domínio religioso pleno das massas, inclusive das ciências.

Mas essa ciência, a Ciência Espírita, nasceria livre e firme para rebater de forma lúcida e com razão esclarecedora, as suas afirmações.

Mesas girantes Espiritismo

As mesas girantes eram um fenômeno denominado psicocinético.

Trata-se de uma espécie de “sessão espírita” no qual os indivíduos sentavam-se ao redor de uma mesa, colocavam as mãos sobre ela e aguardavam até que elas se movimentassem.

Sem qualquer explicação física que pudesse justificar este acontecimento, acreditava-se que as mesas eram pontes de comunicação com espíritos.

Atualmente, esse fenômeno não acontece mais.

Ele foi utilizado justamente para atrair a curiosidade e a consciência das pessoas acerca do mundo espiritual.

Logo, precisava ser um evento inusitado o suficiente a ponto de chamar a atenção da sociedade.

Codificação espírita

Codificação espírita

A codificação espírita é um conjunto de cinco livros escritos por Allan Kardec.

Essas obras são a base dos princípios do Espiritismo.

Logo, reúnem todos os conhecimentos sobre a doutrina e são de leitura obrigatória para aqueles que desejam aprofundar-se no Espiritismo.

1. O Livro dos Espíritos

Em 18 de abril de 1857, era lançada a obra O Livro dos Espíritos.

Nessa ocasião, o professor Denizard Rivail adotou o pseudônimo Allan Kardec, nome que foi seu em anterior reencarnação, onde exerceu a personalidade de um druida, com a intenção de levar à Humanidade uma obra dos espíritos e não de um único homem.

Filosofia, ciência e religião seriam os ideais que sustentariam como base os ensinamentos coordenados pelo Espírito de Verdade, nos trazendo do mundo espiritual o Consolador Prometido.

Perguntas como “de onde vim?”, “para onde vou?” e “o que faço aqui?” sempre estiveram assombrando grande parcela das pessoas em todas as épocas.

2. O Livro dos Médiuns

Publicado em 1861, O Livro dos Médiuns, aborda as manifestações espíritas e dos médiuns.

Durante os capítulos, Allan Kardec fala sobre as formas de comunicação com o mundo espiritual, o desenvolvimento da mediunidade e os desafios que podem ser enfrentados na prática da Doutrina Espírita.

Logo, ele é primordial para as atividades mediúnicas.

3. O Evangelho Segundo o Espiritismo

O Evangelho Segundo o Espiritismo foi lançado em 1964, sob instruções de espíritos superiores.

Ele reflete o código divino, explicando os ensinamentos de Cristo e convidando todos a vivenciá-los.

Ou seja, ele promove a interpretação espírita acerca dos textos evangélicos e também reúne uma coletânea de preces espíritas.

Além disso, é um recurso para a prática do Evangelho no Lar e é considerado um livro de cabeceira para os praticantes da doutrina.

4. O Céu e o Inferno

Lançado em 1865, O Céu e o Inferno é uma obra dividida em duas partes.

Na primeira parte são abordados diversos assuntos para exame comparativo com as outras doutrinas.

E na segunda parte, Allan Kardec insere relatos de experiências do mundo espiritual por meio de diálogos com os espíritos.

Nesse livro, temas relevantes são tratados, como anjos e demônios, o temor da morte, a consciência dos espíritos e o que acontece após o desencarne.

5. A Gênese

Lançado em 1868, A Gênese é o último livro da codificação espírita e sua publicação ocorreu um ano antes do desencarne de Allan Kardec.

Ele cita a criação da humanidade e do mundo material e contém três partes.

A formação dos mundos e a criação dos seres.

Em seguida são relatados os milagres sob a visão espírita.

E, por fim, é feita a explicação sobre as predições.

Espiritismo no Brasil e no Mundo

Espiritismo no Brasil e no Mundo

O Espiritismo no Brasil se popularizou através de grandes líderes.

Dentre eles, Bezerra de Menezes, Chico Xavier e Divaldo Pereira Franco.

Não há um nome que possa ser apontado como o fundador da doutrina no Brasil.

Contudo, o educador francês Casimir Lieutaud foi o responsável por trazer o Espiritismo ao nosso país quando traduziu a obra Os Tempos São Chegados em 1860.

A Doutrina Espírita está presente em várias nações e existe o Conselho Espírita Internacional (CEI), uma entidade formada por associações que representam os movimentos espíritas nacionais, contando com diversos países membros.

Alguns deles são Argentina, Bolívia, Canadá, Estados Unidos, França e Itália.

Espiritismo: relação material e espiritual

espiritismo significado

O sobrenatural já exigiu muitas refutações, críticas e opiniões de diversos filósofos, de Sócrates à Kant, de Hipócrates à Hegel.

A relação material/espiritual era real, mas ainda na ignorância de muitos fatos capazes de produzir o esclarecimento para aquelas consciências.

A maioria das afirmações desses nobres pensadores recomendava aguardar o avançar da ciência que, sem poder tocar pela frieza do bisturi ou outros instrumentos científicos, jamais poderia aceitar a plenitude dessa realidade.

No avançar inexorável do tempo, surge uma nova ciência, o Espiritismo.

A ciência é capaz de estudar o espírito, trazendo luz para a obscuridade dos conhecimentos sobre o assunto.

Como vimos nos tópicos anteriores, Allan Kardec foi o responsável por realizar a metodologia do estudo e organização para o desenvolvimento dessa ciência, pelas inúmeras informações obtidas pelos espíritos que já viveram na Terra.

Espiritismo é uma ciência, religião ou filosofia?

O Espiritismo pode ser considerado uma ciência, religião e uma filosofia.

Ele se baseia na lógica para passar seus ensinamentos, bem como ensina o pensamento filosófico de questionar não só a doutrina, como a si mesmo.

Por fim, é também uma religião, uma vez que une grandes grupos de pessoas a fim de estudar e aplicar os conhecimentos sob a ótica da fé e moral cristã.

Religião espírita

O Espiritismo é religião proveniente da França, que fala sobre reencarnação, reforma íntima e a continuação da vida após o desencarne.

É a doutrina que consegue explicar a justiça contida nas principais mazelas do mundo, sem contestar a infinita misericórdia de Deus para conosco.

“O Espiritismo é uma doutrina filosófica que tem consequências religiosas, como qualquer filosofia espiritualista; por isso mesmo, vai ter forçosamente as bases fundamentais de todas as religiões: Deus, a alma e a vida futura. Mas não é uma religião constituída, visto que não tem culto, nem rito, nem templos e que, entre seus adeptos, nenhum tomou, nem recebeu, o título de sacerdote ou de sumo sacerdote.”

Livro dos Espíritos, pergunta 232

Espiritismo e ciência

Como a ciência explica a mediunidade, afinal?

Na verdade, ela ainda não conseguiu explicar todos os fenômenos espíritas.

No entanto, muitos estudos são feitos a fim de dar luz às manifestações que ainda são misteriosas, como a mediunidade, por exemplo.

Podemos citar o exemplo de um estudo realizado por pesquisadores dos Estados Unidos e de São Paulo que mapearam, por meio de tomografias, o cérebro de alguns médiuns brasileiros durante a psicografia.

Esse estudo serviu para mostrar como a ciência enxerga a mediunidade e, apesar de não ter tido um resultado afirmando sua natureza científica, aspectos importantes foram observados.

Durante a psicografia, foi possível verificar que áreas do cérebro relacionadas à linguagem, planejamento, raciocínio, solução de problemas e movimento, apresentaram redução no fluxo sanguíneo.

O que é contraditório, uma vez que a tarefa da escrita demanda maior atividade dessas áreas.

O que é Deus para os espíritas?

o que é deus

A seguir, vamos acompanhar trechos do Capítulo I de O Livro dos Espíritos, que nos esclarece o que é Deus para os espíritas:

(Pergunta 1) “Que é Deus?”

Resposta: “Deus é a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas.”

(Pergunta 4) “Onde se pode encontrar a prova da existência de Deus?”

Resposta: “Num axioma que aplicais às vossas ciências. Não há efeito sem causa. Procurai a causa de tudo o que não é obra do homem e a vossa razão responderá.” 

(Pergunta 5) “Que dedução se pode tirar do sentimento instintivo, que todos os homens trazem em si, da existência de Deus?”

Resposta: “A de que Deus existe; pois, donde lhes viria esse sentimento, se não tivesse uma base? É ainda uma consequência do princípio — não há efeito sem causa.” 

(Pergunta 6) “O sentimento íntimo que temos da existência de Deus não poderia ser fruto da educação, resultado de ideias adquiridas?”

Resposta: “Se assim fosse, por que existiria nos vossos selvagens esse sentimento?”

6 principais fundamentos do Espiritismo

fundamentos do Espiritismo

Vamos conhecer, a seguir, os seis principais fundamentos espíritas.

Eles são primordiais para que compreendamos e apliquemos o Espiritismo.

1. Deus

O primeiro fundamento espírita é o de que Deus é a Inteligência Suprema.

Ser de infinita bondade e justiça, a harmonia de tudo o que há.

Logo, Deus para os espíritas é a totalidade.

Não existe mais de um deus no espiritismo: é uma doutrina monoteísta.

2. Reencarnação Espiritismo

Você sabe como funciona a reencarnação?

Seu significado é voltar a habitar um corpo carnal.

Logo, o nosso perispírito passa pelo véu do esquecimento e é inserido novamente em um corpo terreno, a fim de passar pelo mundo de provas e expiações.

Esse é um conceito fundamental na Doutrina Espírita.

A Igreja Católica já aceitou a reencarnação, mas hoje a condena.

3. Lei de causa e efeito Espiritismo

A lei de causa e efeito, ou lei do retorno no Espiritismo, é um conceito muito presente na doutrina, também denominado karma.

Significa que tudo o que fizermos terá um efeito futuro, seja bom ou ruim.

Afinal, ao contrário, não haveria justiça.

No entanto, o efeito nem sempre é imediato e pode se fazer presente em encarnações futuras.

4. Livre-arbítrio

O livre-arbítrio é a escolha sob vontade própria do indivíduo.

Ele é importante para que a evolução seja um mérito do indivíduo e não um estado condicionado por outrem.

Não significa que Deus se alegra ao ver um de seus filhos escolhendo o caminho do mal.

No entanto, dá a ele a escolha de errar e a oportunidade de depurar suas faltas.

5. Lei do Progresso, segundo o Espiritismo

Já a Lei do Progresso, segundo o Espiritismo, explicita que tudo está em constante evolução.

Logo, nenhum ser ou mundo regride de seu estado atual.

Pode haver um atraso no progresso, mas nunca um regresso.

6. Mediunidade

De acordo com a Doutrina Espírita, a mediunidade é a capacidade de espíritos encarnados se comunicarem com espíritos desencarnados.

A mediunidade pode se manifestar de inúmeras formas e é através dela que conseguimos orientação suficiente para auxiliar no progresso individual e coletivo.

4 médiuns espíritas importantes

Existem inúmeros médiuns brasileiros importantes e que utilizam sua mediunidade para o trabalho no bem.

Não é possível dizer qual seria o melhor ou os melhores médiuns brasileiros, até porque esse tipo de comparação não combina com os princípios do Espiritismo.

Abaixo, vamos comentar um pouco sobre os médiuns brasileiros que receberam bastante destaque por conta de suas obras. Confira!

1. Chico Xavier

Chico Xavier foi um dos médiuns brasileiros, filantropos e líderes espirituais mais reconhecidos.

Durante 70 anos, dedicou sua vida à espiritualidade, utilizando sua mediunidade para psicografar cartas, consolando assim milhares de famílias que sofriam o luto.

Ademais, ele foi um grande filantropo e cedeu os direitos autorais de suas obras para instituições de caridade.

Chico psicografou mais de 450 livros e ultrapassou a marca de 50 milhões de exemplares vendidos.

Consequentemente, ele é bastante conhecido, mesmo por aqueles que ainda não se familiarizaram com o Espiritismo.

2. Divaldo Pereira Franco

Divaldo Franco, através da sua oratória, dedicação à caridade e exemplo, restaura a pureza do Evangelho de Jesus nas bases espíritas em muitos países e também em solo brasileiro, fazendo com que muitas árvores possam florescer e produzir novos frutos.

Divaldo é emérito educador. Fundou em 1952, na cidade de Salvador, Bahia, a Mansão do Caminho, instituição que acolheu e educou crianças através de Lares Substitutos. Educou mais de 600 filhos, hoje emancipados, a maioria com família constituída.

3. Raul Teixeira

Raul Teixeira, é um orador, educador, médium e filantropo brasileiro.

Ele é um dos fundadores da Sociedade Espírita Fraternidade, que se localiza em Niterói.

Já esteve em todos os estados nacionais e em 45 países, utilizando sua habilidade de oratória para espalhar a mensagem espírita a diversas pessoas.

4. Bezerra de Menezes

Bezerra de Menezes, considerado “o médico dos pobres”, foi ainda militar, jornalista, escritor, jornalista e filantropo.

Foi presidente da Federação Espírita Brasileira e do Centro da União Espírita.

Teve atuação destacada em favor da Doutrina Espírita, sendo considerado por muitos espíritas como um modelo a ser seguido.

Símbolo do Espiritismo

videira espiritismo

Qual é o símbolo do Espiritismo?

Na verdade, não existe um símbolo da Doutrina Espírita ou outro tipo de imagem.

Logo, o desenho que será citado aqui não pode ser considerado como simbolismo, apesar de ter ficado bastante difundido.

Durante a codificação espírita, prestes a publicar O Livro dos Espíritos, Allan Kardec recebeu uma mensagem mediúnica sobre a utilização da videira.

Foi, então, que surgiu o ramo da videira espírita – como podemos ver no trecho, a seguir, contido no prefácio do livro:

“Coloca no cabeçalho do livro a cepa que te desenhamos, porque é o emblema do trabalho do Criador. Aí se acham reunidos todos os princípios materiais que melhor podem representar o corpo e o espírito (…)”. (Prolegômenos)

Mundo dos espíritos

O mundo dos espíritos se difere do mundo físico, uma vez que, no primeiro caso, os seres não encontram-se encarnados.

O mundo espiritual é a verdadeira morada de todos os espíritos.

Só existe a reencarnação a fim de passarmos por provas e expiações para que nossa vibração seja compatível com a de mundos mais evoluídos.

O mundo dos espíritos comporta seres em grau evolutivo mais elevado ou em sofrimento nos mundos inferiores.

Há um árduo trabalho de auxílio àqueles que necessitam de amparo no plano terreno e nas esferas habitadas por seres menos esclarecidos.

Vida após a morte, segundo o Espiritismo

Vida após a morte, segundo o Espiritismo

Segundo o Espiritismo, a morte é apenas a passagem do perispírito do plano físico para o plano espiritual.

Logo, a morte, segundo o Espiritismo, não existe da mesma forma como é socialmente difundida e não representa o fim da vida.

Por isso, devemos considerar a vida na terra como uma passagem que tem como objetivo a reforma moral para que sejamos capazes de habitar mundos mais elevados.

Leis naturais e morais Espiritismo

As leis naturais são aquelas que se referem à experiência material.

Já as leis morais se relacionam à experiência subjetiva/espiritual, como a relação do indivíduo com Deus e com os demais seres.

Ambas as leis requerem esforço e dedicação para que não sejam infringidas, uma vez que é necessário boa conduta na experiência material e espiritual.

Sobre o Centro Espírita

Muitos indivíduos se questionam o que é centro espírita e o que as pessoas fazem no centro espírita.

Trata-se de uma sede ou espaço físico destinado à reunião de indivíduos que se identificam com a Doutrina Espírita e desejam aprofundar seus conhecimentos e práticas.

Nele, acontecem as reuniões mediúnicas, ou seja, palestras ministradas sobre algum fundamento do Espiritismo para gerar reflexões.

Além disso, existem os grupos de estudo, onde as pessoas podem fazer a leitura e discussão sobre as obras básicas.

Bem como acontecem os atos de caridade e o atendimento fraterno, para ouvir e amparar aqueles que necessitam.

Ademais, ocorre a reunião mediúnica, na qual os médiuns unem-se para que haja a troca com o plano espiritual.

O centro espírita é um ambiente fluidicamente preparado para acolher e tratar os indivíduos que lá estiverem

Passes espíritas

Para compreender o que é o passe espírita kardecista, podemos compará-lo ao antigo ato de benzer.

Ocorre a interposição das mãos da cabeça aos pés de outro indivíduo, a fim de transmitir fluidos energéticos que os auxiliem no equilíbrio e afastem energias negativas.

O médium que aplica o passe é instrumento de um espírito amigo, que fornece, por meio dele, os fluidos necessários para auxiliar o receptor.

Preces espíritas

A oração espírita é a melhor forma de solicitar amparo do mundo espiritual.

No livro O Evangelho Segundo o Espiritismo, existe uma parte somente dedicada às preces espíritas.

Existem preces para inúmeras ocasiões que podem ser feitas para organizar melhor a comunicação com o mundo espiritual e atrair bons fluídos.

Essa prática deve ser constante.

Com isso, damos mais espaços para que boas energias cheguem até nós.

A seguir, vamos inserir algumas preces contidas na Coletânea de Preces Espíritas em O Evangelho Segundo o Espiritismo:

Prece para os anjos guardiões e aos espíritos protetores

“Prece. – Espíritos esclarecidos e benevolentes, mensageiros de Deus, que tendes por missão assistir os homens e conduzi-los pelo bom caminho, sustentai-me nas provas desta vida; dai-me a força de suportá-las sem queixumes; livrai-me dos maus pensamentos e fazei que eu não dê entrada a nenhum mau Espírito que queira induzir-me ao mal. Esclarecei a minha consciência com relação aos meus defeitos e tirai-me de sobre os olhos o véu do orgulho, capaz de impedir que eu os perceba e os confesse a mim mesmo.

A ti, sobretudo, N…, meu anjo guardião, que mais particularmente velas por mim, e a todos vós, Espíritos protetores, que por mim vos interessais, peço fazerdes que me torne digno da vossa proteção. Conheceis as minhas necessidades; sejam elas atendidas, segundo a vontade de Deus” (Aos anjos guardiões e aos espíritos protetores.)

Prece para afastar os maus espíritos

“Prece. – Em nome de Deus Todo-Poderoso, afastem-se de mim os maus Espíritos, servindo-me os bons de antemural contra eles. 

Espíritos malfazejos, que inspirais maus pensamentos aos homens; Espíritos velhacos e mentirosos, que os enganais; Espíritos zombeteiros, que vos divertis com a credulidade deles, eu vos repilo com todas as forças de minha alma e fecho os ouvidos às vossas sugestões; mas, imploro para vós a misericórdia de Deus. 

Bons Espíritos que vos dignais de assistir-me, dai-me a força de resistir à influência dos Espíritos maus e as luzes de que necessito para não ser vítima de suas tramas. Preservai-me do orgulho e da presunção; isentai o meu coração do ciúme, do ódio, da malevolência, de todo sentimento contrário à caridade, que são outras tantas portas abertas ao Espírito do mal.” (Para afastar os maus espíritos)

Prece para as aflições da vida

“Prece. – Deus Onipotente, que vês as nossas misérias, digna-te de escutar, benevolente, a súplica que neste momento te dirijo. Se é desarrazoado o meu pedido, perdoa-me; se é justo e conveniente segundo as tuas vistas, que os bons Espíritos, executores das tuas vontades, venham em meu auxílio para que ele seja satisfeito. 

Como quer que seja, meu Deus, faça-se a tua vontade. Se os meus desejos não forem atendidos, é que está nos teus desígnios experimentar-me e eu me submeto sem me queixar. Faze que por isso nenhum desânimo me assalte e que nem a minha fé nem a minha resignação sofram qualquer abalo. (Formular o pedido.)” (Nas aflições da vida)

Prece de agradecimento por um favor obtido

“Prece. – Deus infinitamente bom, que o teu nome seja bendito pelos benefícios que me has concedido. Indigno eu seria, se os atribuísse ao acaso dos acontecimentos, ou ao meu próprio mérito. 

Bons Espíritos, que fostes os executores das vontades de Deus, agradeço-vos e especialmente a ti, meu anjo guardião. Afastai de mim a ideia de orgulhar-me do que recebi e de não o aproveitar somente para o bem. Agradeço-vos, em particular,…” (Ação de graças por um favor obtido)

Como conhecer melhor sobre o Espiritismo?

Como conhecer melhor sobre o Espiritismo?

A seguir, vamos comentar sobre maneiras de conhecer melhor sobre o Espiritismo e se aprofundar na doutrina.

Existem incontáveis conteúdos com o objetivo de difundir o Espiritismo de maneira didática e com informações confiáveis.

Confira abaixo!

Livros espíritas

A primeira forma de conhecer melhor sobre o Espiritismo é a leitura de livros espíritas.

Além das obras básicas, existe uma infinidade de obras psicografadas por excelentes médiuns e que promovem grande esclarecimento.

A leitura de livros espíritas renova a esperança e nos faz compreender melhor como funcionam os fundamentos espiritistas ao serem aplicados na prática.

Nos links a seguir, confira sugestões de obras:

Filmes espíritas

Outra maneira de saber mais sobre a doutrina é por meio dos filmes espíritas.

Os filmes espíritas podem ser encontrados em plataformas de streaming, como a Netflix, por exemplo.

Eles são excelentes para auxiliar-nos na visualização dos outros planos espirituais.

Por óbvio que não é a representação fiel, até porque ainda não somos capazes de conceber a singularidade desses ambientes.

No entanto, fica mais fácil colocar luz sobre a doutrina e ver nela maior significado.

Sugestões de filmes espíritas:

1. As mães de Chico Xavier

2. E a vida continua…

3. Nosso Lar

4. Divaldo – O Mensageiro da Paz

Palestras espíritas

As palestras espíritas também são de suma importância para a melhor compreensão da doutrina.

Afinal, é uma explicação didática, que gera reflexão e nos promove rotas de estudo bem direcionadas.

Além disso, as palestras conseguem nos acalmar e abrir campo para que a espiritualidade trabalhe no caminho da nossa cura.

Revistas Espíritas

Todas as ameaças e afrontas dos aparentes dominadores da época foram consideradas.

No entanto, na Revista Espírita, Allan Kardec apresentava refutações lógicas e claras, promovendo a possibilidade da verdadeira iluminação individual.

Explicitando que o poder de ascender é do próprio indivíduo.

A liberdade da descoberta dos segredos do céu e o inferno, capazes de consolar as almas, estaria agora acessível para humanidade.

Em 1861, surge O Livro dos Médiuns.

Desde então, o sobrenatural, os fenômenos e tudo o, até então, era tratado com frivolidades para consultas mesquinhas com os espíritos, começam a ter seu contato com a realidade.

Retira-se então o véu da ignorância e do preconceito que turvava a visão dos interessados apenas nos efeitos, sem considerar as causas daqueles fenômenos, que cresciam na França e no mundo como jamais visto na história.

Músicas espíritas

Para atrair bons fluídos e inspirações benéficas, o hábito de ouvir músicas espíritas é excelente.

Além de promover conhecimento, também nos coloca em melhor vibração, ampliando nossa intuição e abertura para a nossa natureza espiritual.

Ao ler, assistir e ouvir conteúdos edificantes, somos direcionados ao caminho da reforma íntima, do amor e da caridade.

Afinal, o que é ser uma pessoa espírita?

espiritismo

Ser uma pessoa espírita é aquela que trabalha de forma caritativa para melhorar a sua vida e a vida do próximo, estuda encontrar na Doutrina Espírita respostas aos questionamentos da sua vida e reflete com eles, compreendem que a fé é raciocinada.

Bem como compreender sua posição transitória no plano terreno e sua natureza espiritual.

Além disso, o espírita é aquele que crê e tem o objetivo de trabalhar seu aprimoramento

Vídeos sobre o Espiritismo

A seguir, vamos conhecer algumas indicações de excelentes palestras sobre o Espiritismo.

Estes conteúdos são muito importantes para complementar o nosso entendimento.

Claro que não devem substituir a leitura das obras básicas, no entanto, auxiliam bastante no esclarecimento de questões fundamentais da doutrina.

O que é o Espiritismo por Divaldo Franco

Chico Xavier fala sobre A Reencarnação

A palestra sobre A Reencarnação, ministrada por Chico Xavier, é fundamental na compreensão sobre como funciona a pluralidade das existências.

O médium nos explica de maneira bastante didática como funciona a reencarnação e qual a sua importância para a nossa evolução.

O que é o Espiritismo por Raul Teixeira

A palestra O que é o Espiritismo, ministrada por Raul Teixeira, nos explica os principais fundamentos da Doutrina Espírita.

É um conteúdo muito interessante para ampliarmos nossos conhecimentos acerca da doutrina e esclarecer possíveis questões que possam ter surgido.

Conclusão

Como vimos ao longo deste conteúdo, a história do Espiritismo é dotada de lógica e misericórdia.

Seus ensinamentos foram entregues a nós da melhor maneira possível para que pudéssemos compreender e colocar à prova tudo o que foi exposto.

Logo, é importante nos dedicarmos ao estudo constante da Doutrina Espírita, a fim de alcançarmos a nossa evolução e habitarmos os mundos superiores.

E então, gostou de conhecer um pouco mais sobre a história do Espiritismo? Algo te surpreendeu ou deixou curioso? Deixe um comentário e divida conosco suas percepções!

Aproveite para usar o nosso formulário de contato e mandar sua sugestão de tema a ser tratado em próximas publicações por aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *