Pular para o conteúdo

Amor Fraternal e Espiritismo: significado, características e a Lei do Amor

Há uma ligação direta entre amor fraternal e Espiritismo.

Não estamos falando de um apego, mas de um anseio genuíno de proporcionar ao outro o bem-estar idêntico ao próprio contentamento.

Afinal, a Doutrina Espírita tem essa forma de afeto como base, e trabalha com o objetivo de que todos os seres alcancem a libertação espiritual.

É sobre isso que vamos falar neste texto.

Acompanhe até o final!

Amor fraternal e Espiritismo

Para entender o que quer dizer amor fraternal, deve-se separar os termos.

Amor trata-se de uma forte e genuína afeição por outro indivíduo, fruto das relações sociais ou de laços consanguíneos.

Já a fraternidade pode ser compreendida como grande consideração, caridade, benfeitoria e carinho pelo outro.

O amor fraternal é a união desses significados, de modo a criar um sentimento de total entrega ao outro, motivando o indivíduo a fazer até mesmo grandes sacrifícios.

Ele se relaciona ao Espiritismo, pois trata-se do sentimento que Jesus Cristo demonstrou por nós enquanto encarnado e que nutre até os dias atuais.

Portanto, para conquistar a nossa evolução espiritual, devemos aprender a amar como Jesus amou e praticar esta benevolência com todos os que nos cercam.

Significado de amor fraterno, segundo o Espiritismo

O significado de amor fraterno, segundo o Espiritismo, é um sentimento muito intenso de caridade para com os nossos semelhantes.

Ele se distingue do amor do mundo, pois é proposto pela lei do Criador, mas não está acima das nossas possibilidades.

Ou seja, nós também seremos capazes de amar como Jesus Cristo e agir de maneira tal que possamos auxiliar o próximo a cada dia.

Para isso, é imprescindível deixar de lado o ego e o orgulho.

Afinal, este amor abrange todos os seres, até aqueles pelos quais não sentimos afeição.

Compreender que os indivíduos estão no mesmo processo de evolução é fundamental para ter empatia e acolhimento com seus erros.

O que é ser fraterno no Espiritismo?

De acordo com a Doutrina Espírita, ser fraterno é praticar a caridade, benevolência e paciência para com o próximo.

É a adoção de uma postura acolhedora, porém distante do ego e sem alardes.

Ser fraterno é compreender que ninguém é melhor do que o outro, mas que todos estamos passando pelos desafios necessários para conquistar a evolução espiritual.

Portanto, o papel da fraternidade é ajudar aqueles que estão em condições mais ou menos favorecidas que as nossas para que ambos possam caminhar juntos.

Sobre a Lei do Amor

O vídeo a seguir, narrado por Raul Teixeira, fala sobre a Lei do Amor.

Tal Lei foi ensinada por Jesus Cristo quando esteve encarnado na Terra.

É o amor que sobrevive ao terreno menos fértil, ele é soberano, benevolente e acolhe a todos.

Vale a pena conferir este conteúdo e se inspirar nessa linda forma de dedicar carinho, caridade e colo ao outro.

Assista:

Como podemos caracterizar o amor fraterno?

O amor fraterno, também conhecido como o amor de Deus, possui inúmeras características que o torna único e diferente do amor egoísta ou somente sensorial.

Sua primeira singularidade é a gratuidade.

No amor fraterno não há cobranças, exposições ou segundas intenções.

Ele é oferecido com o objetivo do bem mútuo.

Sua segunda característica é a fidelidade e constância.

Nada pode abalar o amor de Deus, independentemente das falhas cometidas.

Além disso, o amor fraterno é atuante.

Isso significa que ações positivas são tomadas a fim de auxiliar o próximo em sua jornada evolutiva e, para isso, não se mede esforços.

Podemos destacar ainda o acolhimento proporcionado por este amor que se interessa de forma genuína um(uns) pelo outro(s).

Com isso, há a verdadeira entrega e o desejo de servir em prol do bem comum.

Diferença entre amor fraterno e amor afetivo

O amor afetivo é aquele que temos pelas pessoas que convivemos em nosso particular.

Embora não se restrinja a laços sanguíneos, ele abrange somente os indivíduos inseridos de forma íntima em nosso círculo social.

É positivo, uma vez que auxilia no cotidiano e promove trocas bastante edificantes.

Contudo, é diferente do amor fraterno, que abrange todos os seres.

O amor fraternal engloba até mesmo aqueles que não gostam de nós ou que nos fizeram mal.

Afinal, trata-se de um sentimento de unidade e desejo de fazer o bem para o outro independentemente de suas faltas.

O Espiritismo pode ajudar a desenvolver o amor?

A Doutrina Espírita é capaz de nos fazer compreender muitos acontecimentos que aos olhos do mundo são absurdos e revoltantes pela visão apenas do plano terreno.

Quando começamos a entender as leis de causa e efeito e os motivos da reencarnação, conseguimos observar que há justiça em tudo o que acontece.

Além disso, ao entender que somos falhos, passamos a ter empatia com o próximo e buscamos ajudá-lo a trilhar caminhos mais edificantes.

Portanto, o Espiritismo pode nos auxiliar muito a desenvolver o amor fraterno.

O vídeo a seguir fala mais detalhadamente sobre a maneira espírita de contribuir no cultivo do amor.

Assista:

Amor na Família

A palestra a seguir, ministrada por Divaldo Franco e Raul Teixeira, fala sobre o amor na família.

Nem sempre é fácil nutrir bons sentimentos dentro do núcleo familiar.

Afinal, algumas relações têm base no apego, no ressentimento e na raiva.

Isso se explica pelo fato de que muitos espíritos reencarnam na mesma família daqueles com os quais têm questões a resolver.

Ou seja, pode haver muitas sensações que vão além da compreensão adquirida na encarnação atual e que demandam muito estudo e resignação para que sejam superados.

Por isso, vale a pena conferir este conteúdo para aprender a melhorar diariamente as ações a fim de aprimorar as convivências cotidianas.

Assista:

Amor fraternal na Bíblia

O amor fraternal tem como significado bíblico um sentimento de afeição e bondade que rompe as fronteiras dos laços sanguíneos.

Ele representa o desejo de que todos os seres encontrem a felicidade e a evolução espiritual.

Como mencionamos antes, o amor sacrificial de Jesus é o modelo para a nossa vida, e a Bíblia está cheia de referências sobre este tipo de amor.

A seguir, vejamos alguns versículos que mencionam isso:

“Amados, amemos uns aos outros, pois o amor procede de Deus. Aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus” (1 João 4:7)

“Um novo mandamento dou a vocês: Amem-se uns aos outros. Como eu os amei, vocês devem amar-se uns aos outros. Com isso todos saberão que vocês são meus discípulos, se vocês se amarem uns aos outros” (João 13:34-35)

“Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou seu Filho como propiciação pelos nossos pecados. Amados, visto que Deus assim nos amou, nós também devemos amar uns aos outros. Ninguém jamais viu a Deus; se amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós, e o seu amor está aperfeiçoado em nós” (1 João 4:10-12)

“Nisto conhecemos o que é o amor: Jesus Cristo deu a sua vida por nós, e devemos dar a nossa vida por nossos irmãos. Se alguém tiver recursos materiais e, vendo seu irmão em necessidade, não se compadecer dele, como pode permanecer nele o amor de Deus? Filhinhos, não amemos de palavra nem de boca, mas em ação e em verdade” (1 João 3:16-18)

“Dediquem-se uns aos outros com amor fraternal. Prefiram dar honra aos outros mais do que a vocês” (Romanos 12:10)

“Sabemos que já passamos da morte para a vida porque amamos nossos irmãos. Quem não ama permanece na morte” (1 João 3:14)

“Seja constante o amor fraternal. Não se esqueçam da hospitalidade; foi praticando-a que, sem o saber, alguns acolheram anjos. Lembrem-se dos que estão na prisão, como se aprisionados com eles; dos que estão sendo maltratados, como se vocês mesmos estivessem sendo maltratados” (Hebreus 13:1-3)   

“Respondeu Jesus: ‘Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento’. Este é o primeiro e maior mandamento. E o segundo é semelhante a ele: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’.” (Mateus 22:37-39)

“Se vocês de fato obedecerem à lei do Reino encontrada na Escritura que diz: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’, estarão agindo corretamente”. (Tiago 2:8)

“Não devam nada a ninguém, a não ser o amor de uns pelos outros, pois aquele que ama seu próximo tem cumprido a Lei” (Romanos 13:8)

Conclusão

Podemos concluir que o amor fraternal e o Espiritismo se conectam pelo intuito de seguir os passos de Jesus Cristo.

Dessa maneira, os ensinamentos mais importantes conseguem ser vivenciados pela junção de sentimentos positivos em relação ao próximo.

Consequentemente, o indivíduo se torna mais paciente, compreensivo e disposto a ajudar e acolher o outro, sem esperar nada em troca.

Então, gostou do texto?

Você sabia dessa relação entre o amor fraternal e Espiritismo?

Deixe um comentário no espaço abaixo e divida conosco seus conhecimentos.

Quer ver algum tema por aqui?

Preencha nosso formulário de contato e mande sua ideia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *