Raul Teixeira: a biografia de um amigo

Raul Teixeira – Biografia de um amigo

Na certidão de nascimento de Raul Teixeira ele nasceu em 7 de agosto de 1949, mas na realidade ele nasceu em 7 de outubro daquele ano. Quer saber como Raul Teixeira se tornou um Médium de prestígio internacional? Então continue a ler esta biografia especial.

Eu e Raul Teixeira

Tive a honra de conhecer Raul quando tinha 16 anos. Hoje, eu com mais de 60 e ele com mais de 70, continuamos a nos corresponder. Lembro bem do seu verbo vibrante, da sua fala firme e sem retoques. Simpático e enérgico, amigável e repleto de conteúdo. Acostumado à convivência com jovens espíritas, era muito querido na Mocidade Espírita Célia Xavier, a qual eu pertencia. Em Belo Horizonte, se hospedava com a nossa orientadora da Mocidade, D. Marlene Assis. Tive assim, a oportunidade preciosa de conviver bem de perto com Raul em muitas ocasiões em minha vida. Orientador prestimoso, confortava à nós outros de maneira amorosa e edificante. Escrevi muitas cartas a ele que sempre eram respondidas com o incentivo e testemunhos de fé e fraternidade.

Leia também: Médium espírita: o que é, como desenvolver? Conheça 7 tipos

Conheça melhor a história de Raul Teixeira

Recorri a dois biógrafos de Raul Teixeira (Osvaldo Esteves Faria e Cezar Braga Said), para me inspirar neste retrato pessoal, mas ao mesmo tempo, adentrar-me num fascinante contexto de desafios e de sua educação mediúnica recebida através de aquilatados médiuns do país, como Francisco Cândido Xavier, Divaldo Pereira Franco e Yvone do Amaral Pereira.

Dotado de diversos tipos de mediunidade, Raul se revelou orador espírita requisitado em sua cidade natal (Niterói) no Estado do Rio de Janeiro e depois em todo o Brasil e no exterior.

Vibramos muito quando ele nos trouxe de presente seu primeiro livro publicado (1989/1990) em parceria com Divaldo Franco, o inesquecível: Diretrizes de Segurança e em seguida o “Cântico da Juventude” do jovem autor espiritual Ivan de Albuquerque. Possuo as primeiras edições, autografadas por Raul. Um tesouro espiritual.

Uma família acostumada com os fenômenos espirituais

No Registro de Nascimento Civil, somente realizado em janeiro de 1951, José Raul Teixeira nasceu no dia 07 de agosto de 1949, mas ele nasceu na realidade, no dia 07 de outubro. Seu pai o registrou tardiamente, pagou multa por isso e ainda se enganou na data. Coisas da vida!

Sexto filho da Sra. Benedita Maria da Conceição, poderosa médium vidente e de fenômenos físicos, e seu pai, também com o nome Raul e sobrenome Santos Teixeira, batizaram o filho por nome Raul, mas o prenome José foi exigência do tabelião e colocado em homenagem ao compadre de Seu Raul.

Mediunidade

A mediunidade de Raul se manifestou logo no início da infância, pois ele via os Espíritos desde os dois para três anos de idade e sua mãe acalmava-o dizendo que eram os “Amigos da Luz” que vinham ensinar-lhes a trabalhar para Jesus e que um dia eles viriam convidá-lo a servir ao Meigo Nazareno. Frase repetida tantas vezes que Raul a escuta no imo de sua alma com a ternura e carinho de sua mãe até os dias de hoje.

Além de Raul, suas irmãs Maria Janice e Elenice também eram portadoras da faculdade mediúnica e a mãe das crianças mantinha um compartimento da casa para fazer suas orações dirigidas ao Pai Criador, a Jesus e aos “santos” de sua devoção. Nesse local aconteceram as primeiras visões espirituais de Raul.

Raul possuía apenas 4 anos quando Dona Benedita desencarnou com 44 anos e o menino passou a viver com seus familiares mais próximos. Seu pai desencarnou aos 65 anos de idade acompanhado por Raul, no hospital, lendo-lhe o Evangelho Segundo o Espiritismo, preparando-o para a viagem ao mundo espiritual.

Leia também: Mediunidade: Tipos, Exemplos, Como Desenvolver e Livros Confiáveis

Religiosidade presente em Raul Teixeira

A região onde o menino Raul e seus colegas moravam era bucólica à época, um verdadeiro jardim natural incluindo um pequeno riacho ao fundo onde costumavam pescar. Frequentemente viam passando um sacerdote franciscano na rua onde moravam. O frei contava-lhes histórias da vida de Jesus semanalmente, à sombra de uma árvore, e deslumbrados, os garotos esperavam sempre pelo retorno do homem de hábitos simples e de fala enrolada, pois era estrangeiro. Contou-lhe a história de Francisco de Assis, um santo da terra do padre. E Raul pediu à seu pai que lhe comprasse uma imagem do santo que se tornara devoto.

Dos seis aos nove anos tornou-se interno em uma instituição católica para crianças onde continuou a perceber as entidades espirituais e sem poder compartilhar com os colegas suas visões espirituais que o amedrontavam. Passou a viver com sua irmã mais velha (Elenice Sodré) até os vinte e dois anos de idade, sempre dedicado às causas religiosas.

Aos 11 anos de idade, Raul presenciou a tragédia do incêndio do Grand Circo Norte-Americano, onde vários de seus vizinhos e amigos desencarnaram e como fazia parte da Cruzada Eucarística, visitou diversos lares da comunidade levando o conforto das orações em conjunto.

Raul e a Mocidade Espírita

Convidado por um amigo (José Luiz Villaça) que percebeu seus apuros com a mediunidade, resolveu acompanhá-lo ao Centro Espírita, buscando solução para a faculdade que lhe perturbava. Por conta de suas raízes católicas, conhecia bem a bíblia pois a tinha lido algumas vezes (por sugestão do padre que até então o orientava) e principalmente o Antigo Testamento. A figura de Moisés o fascinava.

Assim que chegou ao Grupo Espírita Leôncio de Albuquerque, Raul, então com 17 anos, foi conduzido à sala de estudos da Mocidade Espírita Ranulpho Xavier cuja orientadora era a Sra. Cecília Einstoss. Naquele dia, Raul percebeu que o que diziam sobre as reuniões espíritas não era verdade. Jovens como ele, estudando, dispostos, alegres. Desfez-se o seu imaginário. E o tema do dia era: o capítulo I de O Evangelho Segundo o Espiritismo:

“Não vim destruir a Lei. As Três revelações: Moisés, Cristo, Espiritismo”.

Quando a orientadora, percebendo sua timidez no grupo, perguntou-lhe o que ele sabia sobre Moisés e se poderia dizer algumas palavras sobre o tema. Naquele instante, diz Raul:

“senti algo muito estranho e senti um turbilhão em minha mente, e falei vários minutos sobre a vida de Moisés, sua vida e obra”.

Foi a primeira palestra inspirada pelos Espíritos que Raul realizou em um Centro Espírita. Aí não parou mais. Saiu dali transformado, e tornou-se espírita. Após seis meses na casa, já tinha lido quase toda a sua vasta biblioteca. Encantou-se com Allan Kardec e as obras básicas do Espiritismo e percebeu que se identificou muito com o pensamento do Codificador.

Leia também: Espiritismo x Espiritualidade: Principais diferenças na visão de Kardec

Raul Teixeira Orador Espírita

Em 1967, Raul Teixeira já demonstrava ser um grande orador, a fluência das palavras carregadas de energia e eloquência. Conhecedor da Doutrina Espírita participou como orientador de cursos de preparação de evangelizadores e orientadores de mocidades espíritas no Estado do Rio de Janeiro e depois requisitado no Brasil inteiro. A tarefa abraçada por Raul teve muitos frutos, formando trabalhadores para inúmeras entidade espíritas que até hoje rendem-lhe homenagens pelo seu exemplo de estudo e fidelidade kadequiana.

A educação formal de Raul

Depois do internato católico, estudou na Escola Portugal Pequeno completando o curso primário. Após a formatura do 2º Grau, serviu a Marinha Brasileira. Com todos os compromissos que as tarefas espíritas lhe exigiram, prosseguiu estudando e formou-se em Física (licenciatura) pela Universidade Federal Fluminense, tornou-se mestre em Educação pela mesma Universidade e Doutor em Educação pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), Raul foi professor na Universidade Federal Fluminense, da qual se aposentou.

Leia também: Espiritismo no Brasil: história da Doutrina e médiuns brasileiros

Desenvolvendo a mediunidade

No início das manifestações mediúnicas bem orientadas através do Centro Espírita, a faculdade da psicografia foi a que primeiro de manifestou de forma ostensiva. Sentindo um impulso no braço direito, delineava as primeiras mensagens dos benfeitores espirituais. A seguir, na psicofonia, trabalhou no resgate de almas sofredoras e utilizou esta capacidade como recurso adicional nas tarefas da pregação.

O Espírito de nome LUIZ foi seu primeiro orientador nas tarefas mediúnicas e esteve com Raul por vários anos até 1974, quando avisou-lhe que iria reencarnar e que um novo orientador, mais experiente se encarregaria de atendê-lo na sua tarefa gloriosa, o seu verdadeiro Guia Espiritual. Foi assim que o irmão Camilo, tornou-se o guia espiritual de Raul e que o acompanha até os dias de hoje.

Leia também: Glândula pineal e Espiritismo: qual a relação com a mediunidade?

Raul e sua afinidade com Francisco de Assis

Desde a infância Raul era deslumbrado por Francisco de Assis. Em comunicação mediúnica soube que já pertencera à Ordem dos Franciscanos e por isso seu ardor pelo personagem ilustre. Além disso seu orientador espiritual, Camilo, também se apresenta como franciscano. E Raul, desejando aproximar-se de Francisco de Assis, perguntou-lhe como isto seria possível, e Camilo respondeu-lhe:

“Para isso, você deve estudar muito, trabalhar muito e amar muito! Se você fizer isto com afinco, conseguirá aproximar-se de São Francisco”.

O tempo urge, filho, e não o temos demasiado

Logo que o benfeitor Camilo, em março de 1974, passou a ser o Guia Espiritual de Raul Teixeira, imprimiu em seu tutelado um senso de urgência. Apresentou-lhe a tarefa e os desafios, afirmando:

“Esqueça-se a si mesmo; vamos meu filho, Jesus deverá ser a nossa Estrela Maior, a nossa Inspiração Maior, o nosso Aconchego Maior. Se lograrmos dar conta desse compromisso, iniciado há tantos séculos sem o necessário êxito, sorveremos a ventura no cálice da vitória, milenarmente suspirada!”.

Com o acompanhamento de um guia sempre afável e paternal, um Espírito amigo e um diligente professor na vida de Raul Teixeira, Camilo sempre demonstrou amor a Jesus Cristo e fidelidade ao pensamento espírita representado pela obra de Allan Kardec.

Após conhecer Divaldo Franco e receber seu apoio nos trabalhos mediúnicos, Raul tomou do arado e seguiu adiante, semeando, confiante na ação do bem.

Aprendendo Com Os Mais Experientes

Foi nos anos 70 que Raul conheceu Yvone do Amaral Pereira com quem tornou-se amiga e confidente por muitos anos, Divaldo Pereira Franco é seu padrinho espiritual e incentivador dos jovens espíritas, amigo de Júlio Cezar Grandi Ribeiro e também conviveu com o saudoso médium Francisco Cândido Xavier, em Uberaba. Suas dúvidas, ansiedades, inexperiência foram aos poucos se dissipando com os exemplos colhidos no convívio com médiuns de excelência no Brasil, solidificando suas convicções em torno do bem e da caridade. O exercício da mediunidade alicerçado no trabalho ao semelhante passou a ser a chave mestra na vida de Raul Teixeira.

Na sua juventude, presenciou fatos espíritas que jamais imaginou. Participou de reuniões de materialização de Espíritos benfeitores, conhecendo o célebre benfeitor José Grosso, foi revelado a ele que uma de suas capacidades mediúnicas era a da orientação espiritual, curou-se de uma enfermidade através da visita direta do Espírito do Dr. Bezerra de Menezes, recebeu mensagens de sua Mãe através de outros médiuns, passou a dar passes (prática espírita que até então não conhecia) e recebeu várias orientações espirituais da Mentora Joanna de Ângelis.

Foi em 1977, em Belo Horizonte, que recebeu um recado através de Divaldo Franco, para reunir as pessoas próximas e iniciar um grupo de trabalhos, uma célula de divulgação com aqueles que eram afins à sua alma. Imediatamente atendeu ao conselho e implantou sua reunião que, após dois meses de iniciada na Federação Espírita do Estado do Rio de Janeiro, já não comportava de tanta gente. Assim, com o seu fortalecimento espiritual, Raul sentiu a necessidade de implementar uma atividade social junto à uma comunidade carente, aliando a palavra do bem com a ação caritativa, como orientava o Espírito Camilo.

Em associação com companheiros simpáticos à causa e à seu coração, e anos de trabalho na “Favela do Gás”, em 4 de setembro de 1980, funda a instituição  SEF-Sociedade Espírita Fraternidade. Com a urbanização da favela, em 1985, passam a trabalhar em Charitas (bairro Várzea das Moças), a 20 Km de Niterói, nascendo o Remanso Fraterno, ramo de luz da SEF chancelada por Dr. Bezerra de Menezes. Em 1990 inaugura a sede própria no Bairro São Domingos, brilhante complexo de educação e caridade.

Leia também: Propósito de vida: Como definir o seu propósito? Dicas e Inspirações

O acidente com Raul e sua moratória

Conforme fora informado por seus Benfeitores Espirituais, Raul chegara ao mundo com uma programação para uma existência breve. Tinha pressa em tudo e aceitava convites de palestras e seminários no Brasil inteiro. Ele declinava estes sentimentos aos amigos e não foi diferente naqueles dias que antecederam seu trágico acidente. Em 1986, convidado à realizar três palestras no mesmo dia, em três cidades diferentes de Mato Grosso, sentiu que seria uma viagem de despedidas. Um companheiro espírita que iria tomar posse como presidente da União Espírita Regional, toma-lhe o lugar que até então Raul estava assentado no veículo que os transportava de uma cidade para a outra. Um automóvel desgovernado atinge o veículo onde estavam os confrades, o automóvel capotou por três vezes jogando-os para fora da estrada. Todos se machucaram, menos o Raul e veio a óbito o companheiro que tomara seu lugar.

Esta “moratória”, teve a interseção direta de sua mãe D. Benedita Maria junto aos Espíritos superiores responsáveis pelas tarefas que agora Raul poderia dar continuidade, graças à Deus!

Mas normalmente a moratória vem sempre acrescida de muitos trabalhos e árduos testemunhos, com afirmava Raul. E assim se seguiu. Novos planos de trabalho, carreira internacional de palestras e tarefas, psicografias de livros memoráveis. 

Leia também: Palestras Espíritas: sobre Jesus, Reencarnação, Mediunidade e a Doutrina

Os livros psicografados

Em 1990 publicou junto com Divaldo Franco o livro “Diretrizes de Segurança” e o “Cântico da Juventude” de autoria do Espírito Ivan de Albuquerque, que foi seguido de vários outros de autores diversos. Percorreu mais de 45 (quarenta e cinco países) e ampliou as atividades do Remanso Fraterno.

A vida corrida e estressante de Raul não lhe deu tréguas. Após a moratória, suas tarefas espirituais foram reforçadas e novas tarefas incluídas em sua missão.

Em poucos anos seus livros psicografados foram recebidos e publicados. A seguir mostramos à esquerda, os títulos dos livros em ordem alfabética e à direita, o autor espiritual:

A Carta Magna da Paz Camilo
Ações Corajosas para Viver em Paz Benedita Maria
Ante o Vigor do Espiritismo Espíritos Diversos
Aprenda a Conversar com o seu Anjo Levy
Caminhos para o Amor e a Paz Ivan de Albuquerque
Cântico da Juventude Ivan de Albuquerque
Cintilação das Estrelas Camilo
Correnteza de Luz Camilo
Desafios da Educação Camilo
Desafios da Mediunidade Camilo
Desafios da Vida Familiar Camilo
Diretrizes de Segurança (Autoria de Raul Teixeira e Divaldo Franco)
É Melhor ser amigo Levy
Educação e Vivências Camilo
Em Nome de Deus José Lopes Neto
Em Serviço Mediúnico Hans Swigg
Exaltação ao Brasil Sebastião Lasneau
Justiça e Amor Camilo
Lições de Amor e Vida Rosângela Costa Lima
Não Vale a Pena Mentir Levy
No Rumo da Sublime Estrela Espíritos Diversos
Nos Passos da Vida Terrestre Camilo
O Sonho de Toninha Rosângela Costa Lima
Para uma Vida Melhor na Terra Espíritos Diversos
Para Uso Diário Joanes
Quando a Vida Responde Espíritos Diversos
Quem é o Cristo? Francisco de Paula Vítor
Revelações da luz Camilo
Rosângela Rosângela Costa Lima
Vereda Familiar Thereza de Brito
Vida e Mensagem Francisco de Paula Vítor
Vozes do Infinito Espíritos Diversos
Todos Precisam de Paz na Terra Benedita Maria da Conceição
A Saga do Ciúme Em parceria com Cristiane Beira

Além destes títulos, a Federação Espírita do Paraná, publicou em três volumes, o título: VIDAS e valores, contendo trechos de palestras e entrevistas de José Raul Teixeira quando em atividades naquele Estado.

Destacamos os títulos: Desafios da Vida Familiar, Vereda Familiar, Desafios da Educação e Para uso diário. Livros que marcam e revigoram nossa disposição para recomeçar e planejar de maneira altiva e consciente nossa família redentora. Educação moral de qualidade, não permitindo que nossos entes queridos caiamos nas malhas da obsessão.

Nas palavras de Raul:

“É muitíssimo importante que tenhamos essa visão de que nossa vida está atrelada às escolhas que fazemos. E fazer escolhas não é tão simples. A liberdade com Jesus é a opção que deveremos fazer, realizarmos escolhas positivas, para sempre e para o bem ”.

(Vida e Valores Vol.3 Cap. 13).

Leia também: Evangelho no Lar: Como fazer Evangelho no Lar (passo a passo)

Não deixe de assistir a estas palestras de Raul

Sempre que possa, assista uma palestra de Raul Teixeira no YOUTUBE. Recomendamos os seguintes assuntos e temas:

  1. Espalhamento obsessivo (parte 1 e 2).
  2. Porque sofremos.
  3. Educação para a felicidade.
  4. Justiça da Reencarnação.

AVC e tratamento

Na madrugada de 15 de novembro de 2011, durante um voo do Rio de Janeiro para Nova York, onde iniciaria um roteiro com diversas palestras, Raul Teixeira sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC). A assistência espiritual a Raul foi intensa, e por sugestão do benfeitor Camilo, que lhe inspirava calma e paciência, ficou consciente, no avião, após o AVC, pois se adormecesse poderia entrar em coma.

Ao desembarcar em Nova York, ele foi hospitalizado e, assim que seu estado de saúde se estabilizou, voltou ao Brasil para seguir seu tratamento – que mantém até os dias de hoje.

O AVC lhe comprometeu a fala e os movimentos do braço direito (dominante) e dessa forma o tratamento de Raul progride muito bem. A fala continua progredindo, de maneira animadora. Nos últimos anos teve rotina diária concentrada no tratamento.

Hoje em dia, continua com as seções de fisioterapia e fonoaudiologia.

Tem sido convidado a acompanhar Divaldo Franco em congressos e seminários espíritas e articulando as palavras com certa dificuldade mas com a mesma alegria e energia de sempre.

Raul não se casou, não possui filhos consanguíneos, mas muitos filhos do coração e educando-os para a felicidade em sua obra social.

Leia também: Provas e Expiações: quais as diferenças, segundo o Espiritismo?

O REMANSO FRATERNO

Segundo o site www.remansofraterno.org.br o Remanso Fraterno é uma organização sem fins lucrativos, criada em 20 de março de 1988, sediada no município de Niterói atendendo a mais de 250 crianças e seus familiares, além de 85 adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social. É um espaço de desenvolvimento e incentivo à autonomia para que possam contribuir com uma sociedade melhor, com mais oportunidades e perspectivas de vida, despertando seus potenciais.

Em 19 de dezembro de 1993, foi inaugurado o Prédio da Administração, hoje ocupado pela Assistência Social, em 18 de dezembro de 1994; o Prédio do Setor de Saúde; em 26 de agosto de 1996 o prédio do Setor de Educação e em 2001 o Prédio do Refeitório. Em 1.º de junho de 1998, inaugurou-se o Núcleo Educacional Professora Clélia Rocha. E em 2 de fevereiro de 2002, foi inaugurada a Creche Comunitária Professora Clélia Rocha, em parceria com a Prefeitura Municipal de Niterói.

Mais recentemente, em 30 de novembro de 2013, como resultado da reforma do Prédio da Administração, foi inaugurada a nova sede da Diretoria de Assistência Social abrigando o Projeto Acolher é Transformar e as atividades do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos – Projeto Acolher Jovem.

Em 2013, considerando o cenário do Sistema Único de Assistência Social, o Remanso Fraterno está enquadrado no SUAS como entidade de Assistência Social de Proteção Social Básica.

O Remanso Fraterno atende hoje as comunidades dos municípios de Niterói (Várzea das Moças) e o Município de São Gonçalo (comunidades fronteiriças de Niterói).

Leia também: Prece espírita: o que é? Sugestões de orações espíritas para proteção

Conclusão

Educador por excelência, o Professor Dr. José Raul Teixeira constitui exemplo de dignidade e firmeza no ideal Espírita. Desde sua infância marcada pela mediunidade até suas conferências de elevado teor emolduradas por um profundo conhecimento doutrinário e multidisciplinar, vem encantando o mundo inteiro seguindo as pegadas de Jesus, nosso Modelo e Guia.

Semeia junto aos jovens e aos mais experientes, um grande entusiasmo para a busca do desenvolvimento intelecto-moral de cada um, acompanhado pelo trabalho e exemplos de verdadeiro cristão.

Vive a Doutrina Espírita vinte quatro horas por dia, honesto e fiel servidor das causas nobres e dignificadoras, divulga e prossegue sem desanimar  os preceitos de Allan Kardec.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *