Francisco de Assis e o Espiritismo: história e vida do irmão sol

Ainda que seja uma figura bastante popular, nem todo mundo sabe a relação entre Francisco de Assis e o Espiritismo ou conhece detalhes da sua história.

Por isso, neste artigo, detalhamos momentos importantes da vida do nosso querido Irmão Sol para que você conheça toda a trajetória desse grande benfeitor.

Acompanhe!

Francisco de Assis e o Espiritismo: Irmão Sol, Irmã Lua

Francisco de Assis teve importante participação no Espiritismo, sendo um dos espíritos superiores que ajudaram na codificação espírita por Allan Kardec.

É ele quem assina em primeiro lugar os Prolegômenos, de O Livro dos Espíritos, mas com outro nome, o de sua antiga reencarnação: João Evangelista.

Quando encarnado, a Doutrina Espírita ainda não havia sido sistematizada, mas Francisco de Assis, certamente, aplicou muitos de seus princípios.

Afinal, era um homem bondoso e caridoso.

Pouco antes de desencarnar, Francisco entoou um cântico de sua autoria chamado Cântico do Irmão Sol.

Foi assim que recebeu carinhosamente o apelido de Irmão Sol dos seus devotos.

Santa Clara, por sua vez, ficou conhecida como a Irmã Lua.

Ela foi a fundadora do ramo feminino da ordem franciscana.

As histórias de Francisco de Assis e de Santa Clara foram retratadas no filme Irmão Sol, Irmã Lua, de Franco Zeffirelli (1972).

História de Francisco de Assis: resumo de sua vida

Francisco de Assis desencarnou aos 44 anos e, embora tenha tido uma vida breve na Terra, ela foi de muitos feitos.

A seguir, você confere o resumo da história:

Onde nasceu Francisco de Assis?

Francisco de Assis nasceu em Assis, na Itália, em 1182.

Seu nome de batismo, no entanto, é Giovanni di Pietro di Bernardone.

A origem do nome Francisco é desconhecida.

Já Assis é uma atribuição em razão da sua terra natal.

Quem foi Francisco de Assis?

Francisco de Assis foi um frade católico.

Filho dos comerciantes italianos Pietro di Bernadone dei Moriconi e Pica Bourlemont, abdicou-se da vida burguesa para cumprir sua missão como evangelizador.

Juventude de Francisco

Na juventude, Francisco seguiu os passos de seus pais e trilhou o caminho do comércio de tecidos.

Era um comerciante abastado e muito conceituado.

No âmbito pessoal, era bastante popular, indisciplinado e extravagante.

Apesar dessas características, sempre se mostrou uma pessoa bondosa.

Quando jovem, Francisco tinha fascinação por histórias de cavalaria e heróis.

Foi, então, que decidiu se alistar como soldado na guerra de Assis contra a Perúgia.

No combate, acabou sendo preso.

Cerca de um ano depois, foi resgatado, mas logo ficou doente.

Após um período de recuperação, arriscou-se novamente como guerrilheiro, dessa vez, no exército papal que lutava contra Frederico II.

Essa decisão partiu de um sonho, em que ele se via em um palácio, com uma donzela, e rodeado por armas e apetrechos de guerra.

A caminho da guerra, teve outro sonho: um conselho de que deveria retornar à sua terra.

O despertar de Francisco de Assis: a conversão

O sonho de que deveria voltar à Assis, certamente, mexeu com Francisco.

Poucos dias depois desse episódio, quando já estava em Assis, começou a perder o interesse por seus antigos hábitos e passou a se preocupar com os necessitados.

Nesse momento, decidiu ir à uma caverna para meditar.

Levou consigo um amigo muito fiel (futuro Frei Leão) e compartilhou com ele os seus planos de seguir uma vida religiosa.

E assim o fez.

O divisor de águas foi o acolhimento a um homem leproso.

Francisco sentia repulsa pelos leprosos, mas ao ver um deles passando frio, enquanto passeava à cavalo, parou, desceu do animal e cobriu o homem com seu próprio manto.

Apesar disso, sua devoção mostrou-se completa em outra ocasião.

Um dia, ele foi orar na igreja de São Damião e ouviu Jesus Cristo falar-lhe sobre um crucifixo, bem como o estado do prédio e a necessidade de reconstrução da Sua Igreja, e Francisco pensou que era o templo de pedra.

Francisco voltou imediatamente para a sua casa e vendeu os tecidos da loja da família a preços baixos, a fim de obter dinheiro rápido para doar ao padre.

Seu pai, ao descobrir o que havia acontecido, ficou furioso e pediu que buscassem Francisco.

Diante de seu pai, Francisco despiu-se, entregou suas roupas, e renunciou à herança da família.

Em seguida, pediu a bênção do bispo e nunca mais retornou à sua antiga vida.

A fundação da Ordem e primeiras obras

Após ouvir novamente a voz de Jesus, pedindo-lhe para “reerguer a Sua Igreja”, Francisco de Assis entendeu e saiu em busca de ajudar a reconstruir as igrejas que estavam precisando.

Além dessa missão, passou também a ser um missionário, pregando a palavra divina por Assis.

Conquistou alguns seguidores e, com um grupo formado, foi até Roma para obter autorização para a regra primitiva da sua Ordem, que prescrevia a pobreza absoluta para os monges e para os membros da Ordem.

A regra não foi outorgada, mas ele conseguiu a permissão para que seu grupo pregasse e fornecesse assistência moral às pessoas, com a condição de voltar para regularizar a Ordem se o trabalho desse certo.

Pouco tempo depois, a Ordem contou com a primeira mulher, Clara d’Offreducci, conhecida como Santa Clara ou Clara de Assis, que fundou o ramo feminino da Ordem dos Franciscanos.

Reforma da Ordem

Após um período de peregrinação, Francisco voltou à Roma para pedir ajuda ao papa ao ver que a Ordem passava por conflitos.

Para solucionar os problemas existentes, ele elaborou uma segunda regra, mas que não surtiu efeito.

Um novo texto, então, foi criado e submetido à aprovação papal.

A terceira regra, chamada de Regra Bulada, sofreu diversas alterações antes de ser, finalmente, aprovada.

No entanto, com ela, a Ordem perdeu muitas características originais.

Desencarne de Francisco de Assis

Em 1224, Francisco de Assis renunciou à direção da Ordem e foi viver em uma floresta para ficar em contato com a natureza.

Um dia, quando estava rezando, presenciou a imagem de um serafim com uma cruz.

Naquele momento, viu seus pés e mãos sangrarem como se tivesse sido crucificado.

Depois disso, já muito doente, pediu que o levassem de volta à sua terra natal.

No dia 3 de outubro de 1226, Francisco de Assis desencarnou em Assis, na Itália.

As vidas de Francisco de Assis

Segundo relatos mediúnicos, Francisco de Assis teria sido o apóstolo João Evangelista.

Alguns fatos explicam a ligação entre ambos, além do fato de terem sido evangelizadores.

Francisco passou seus últimos momentos lendo textos evangélicos que correspondem à Última Ceia.

Sabe-se que João Evangelista ficou sentado ao lado de Cristo na ocasião.

Outra compatibilidade é que Francisco adorava Maria, a mãe de Jesus.

João Evangelista, por sua vez, foi quem ficou ao lado dela no desencarne de Cristo.

Joanna de Ângelis, Francisco de Assis e o Espiritismo

Joanna de Ângelis é conhecida por ser a guia espiritual do médium Divaldo Franco.

Em uma de suas vidas passadas, Joanna de Ângelis foi Santa Clara de Assis (1194-1253), a discípula de Francisco e fundadora do ramo feminino da Ordem dos Franciscanos.

Uma vez, Divaldo Franco viajou à Itália e Joanna lhe pediu que fosse até Assis visitar o túmulo de Francisco.

Ele cumpriu o pedido e, diante da sepultura, a guia ditou uma mensagem.

Após finalizar a psicografia, ela orientou Divaldo a visitar o convento de Clara de Assis.

Lá, diante do corpo de Clara, ele se deu conta de que Joanna de Ângelis havia sido a Santa Clara em outra vida.

Porque Francisco de Assis é conhecido como protetor dos animais?

Francisco de Assis é tido como o protetor dos animais.

Aliás, muita gente o conhece por esse título sem saber ao certo a história dele.

A verdade é que ele sempre adorou a natureza e, como parte dela, os animais.

Tratava-os como se fossem seus irmãos, com muito carinho, amor e respeito.

Além disso, há muitas histórias de Francisco com os animais, de que ele se comunicava com eles.

Por tudo isso, ganhou a fama de protetor dos bichos.

Palestra sobre Francisco de Assis e Espiritismo

A vida de Francisco de Assis e a ligação dele com o Espiritismo rende muito assunto.

Por isso, há diversas palestras sobre o tema.

A seguir, você confere duas delas:

Francisco de Assis – Biografia

Nesta primeira palestra, da FEBtv, o tema é a vida e obra de Francisco de Assis.

Assista:

Exemplo de Francisco de Assis por Divaldo Franco

Neste vídeo, Divaldo Franco é entrevistado e fala sobre a reencarnação de Francisco de Assis.

Assista:

Conclusão

Francisco de Assis foi um espírito iluminado, que ajudou muitos pobres, e converteu inúmeros seguidores do Evangelho.

Também contribuiu significativamente para a codificação da Doutrina Espírita.

Como vimos na história, embora sua alma bondosa sempre tenha existido, nem sempre ele se dedicou à caridade.

Isso nos mostra que sempre é tempo de repensar nossas atitudes e seguir pelos caminhos de Jesus Cristo.

Gostou deste conteúdo sobre Francisco de Assis e o Espiritismo? Então, aproveite o espaço ao final do texto para escrever o seu comentário.

Tem outro tema que gostaria de ver por aqui? Faça uma sugestão de assunto para a nossa equipe pelo formulário de contato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *