Abnegação no Espiritismo: o verdadeiro significado dessa virtude

Abnegação no Espiritismo

Você já ouviu falar sobre abnegação no Espiritismo?

Se ainda não, saiba que essa virtude tem tudo a ver com os princípios da Doutrina Espírita e é um atributo que devemos procurar desenvolver para evoluir.

Neste artigo, você confere o verdadeiro significado da abnegação e fica por dentro de dicas para treiná-la.

Acompanhe até o final!

Abnegação no Espiritismo: qual o significado dessa virtude?

Abnegação no Espiritismo

Antes de entrarmos efetivamente no conceito sob a ótica do Espiritismo, vamos, primeiramente, entender o que significa abnegação.

A palavra abnegação é usada para indicar a ação de abnegar, ou seja, desistir de alguma coisa.

Essa desistência, por sua vez, costuma ser em função de outra pessoa, numa caracterização de atitude altruísta.

No Espiritismo, a abnegação carrega um sentido ainda mais profundo.

Ela está relacionada à prática do bem acima do nosso próprio bem, isto é, como prioridade diante dos próprios interesses e necessidades.

Isso não significa, no entanto, que ser abnegado é abdicar-se do pensamento crítico e julgamento para suprir uma necessidade de outra pessoa ou instituição.

Diferença entre devotamento e abnegação

Abnegação no Espiritismo

Alguns termos têm conceitos semelhantes e, por essa razão, acabam sendo confundidos.

É o caso, por exemplo, de devotamento e abnegação.

Embora pareçam virtudes análogas, há uma sutil diferença entre elas.

Sutileza essa que influencia a verdadeira caridade.

Veja só:

Devotamento no Espiritismo

O devotamento requer esforço desinteressado e incessante sem críticas ou análises racionais, como um dogma inquestionável.

Para isso, o indivíduo aplica todas as suas forças e recursos.

O ser devoto age em prol do bem alheio.

Abnegação no Espiritismo

Na abnegação, também há empenho contínuo e intenção de ajudar o próximo.

Entretanto, o ser abnegado age em prol do bem alheio acima do seu próprio bem, após uma consideração racional de seus atos e de seu propósito de vida tendo em vista a vida infinita do nosso Espírito.

Isto é, ele se doa por completo, colocando a prática do bem em primeiro lugar, como melhor opção para seu burilamento espiritual.

E isso é o que diferencia a abnegação do devotamento.

Abnegação no Livro do Espíritos e no O Evangelho Segundo o Espiritismo

Abnegação no livro dos Espiritos

A abnegação é bastante retratada em O Evangelho Segundo o Espiritismo, de Allan Kardec.

Além dela, o devotamento também tem destaque, como no seguinte trecho do capítulo VI:

“A abnegação e o devotamento são uma prece contínua e encerram um ensinamento profundo. A sabedoria humana reside nessas duas palavras.”

Tal menção é assinada pelo Espírito da Verdade, que reforça as virtudes dizendo:

“Tomai, pois, por divisa estas duas palavras: devotamento e abnegação, e sereis fortes, porque elas resumem todos os deveres que a caridade e a humildade vos impõem.”

Em O Livro dos Espíritos, embora a abnegação não seja tratada com tanto afinco como é na segunda obra da codificação espírita, o atributo é resposta dos espíritos para uma pergunta de Allan Kardec:

(Pergunta 912) Qual o meio mais eficiente de combater-se o predomínio da natureza corpórea?

Resposta: “Praticar a abnegação.”

Percebemos pelos dois livros que a verdadeira caridade (ou seja, a prática fiel do bem que consiste em amar o próximo como a si mesmo) só pode ser alcançada quando há abnegação.

E somente com essa característica conseguiremos avançar até o grau máximo do progresso moral.

O que é abnegação na bíblia?

Ainda que o termo abnegação não apareça na Bíblia, o seu conceito é manifestado em diversos momentos, como em Mateus 16:24:

“Então Jesus disse aos seus discípulos: ‘Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me’.”

Assim, de acordo com o livro sagrado, a abnegação é o sacrifício dos próprios desejos para ajudar o outro, o mesmo significado que defende a Doutrina Espírita.

A Bíblia ainda reflete a abnegação como fazer as vontade de Deus, e que a abnegação exige sacrifícios.

É amar as mesmas coisas que Deus ama.

Agindo dessa forma, é possível conquistar a felicidade da qual gozam os espíritos superiores:

“Deleite-se no Senhor, e ele atenderá aos desejos do seu coração.” (Salmos 37:4)

7 Dicas de como treinar a abnegação no Espiritismo

Abnegação no Espiritismo

Agora que você já compreende o conceito de abnegação e sabe que essa virtude é de extrema importância para a sua evolução e para o progresso da humanidade, que tal aprender a desenvolvê-la?

A abnegação concretiza o exercício da caridade e pode ser treinada até mesmo nas pequenas coisas.

Confira a seguir formas de praticá-la:

​​1) Faça trabalho voluntário

Sabe aquele tempo que você destina ao lazer?

Você pode usar um pouco desse período para se dedicar a um trabalho voluntário.

Escolha um projeto social e participe com os seus serviços, sejam eles profissionais ou não.

2) Compartilhe conhecimento

Guardar conhecimento é uma atitude egoísta, mas compartilhá-lo é altruísta.

Se você detém sabedoria sobre algo, por que não ensinar os outros?

Há muitas pessoas que não têm oportunidade de aprender por falta de recursos.

3) Doe roupas e objetos

Você já parou para pensar em quantos itens tem em sua casa que não estão em uso?

Separe roupas e objetos para doação.

Mas, mais importante do que isso, faça uma reflexão sobre o consumo excessivo e reveja seus hábitos considerando as necessidades alheias.

4) Esteja disponível aos seus amigos e familiares

Muitas vezes, aqueles que mais precisam de ajuda estão bem próximos a nós, como amigos e familiares.

Mantenha-se vigilante sobre as pessoas ao seu redor, procurando identificar se alguém precisa de apoio.

Doar seu tempo a elas, escutando seus problemas, por exemplo, é uma forma de auxílio.

5) Aprenda a priorizar vontades alheias em seus relacionamentos

Seja em relacionamentos amorosos, familiares ou de amizade, abrir mão dos seus interesses e aceitar os desejos alheios é importante.

Você sempre decide onde ir e o que fazer? Então, que tal priorizar as vontades dos outros conviventes também?

Essa é uma ótima maneira de praticar a abnegação.

6) Questione decisões que impactam a sociedade

Você pode até seguir princípios justos, de tolerância e bondade, mas será que os grupos em que você está inserido também seguem?

Certifique-se de que a maioria desprivilegiada seja considerada nesses meios.

Em reuniões deliberativas, por exemplo, contribua para que os interesses dos desfavorecidos sejam atendidos.

7) Pratique a reforma íntima

A reforma íntima é um processo que consiste em olhar para si mesmo e mudar de dentro para fora.

Trata-se de reformar o que já existe, buscando sempre o aprimoramento.

Ao fazer isso, você fica mais perto de desenvolver atributos importantes para o seu adiantamento moral, como a abnegação.

Livros espíritas sobre abnegação

Abnegação no Espiritismo

Gostou do tema e quer aprender mais sobre abnegação?

Há obras espíritas que tratam do assunto e podem servir para estimular a sua reflexão e a adoção de novos hábitos.

Confira alguns títulos:

Lições de Chico Xavier de A a Z, vários autores

Este livro, organizado por Mucio Martins, traz valiosos ensinamentos de Chico Xavier.

Todos eles foram extraídos de obras importantes e categorizados por assunto.

Um desses temas é a abnegação. Como Chico ensinou, ela tem que ser vivida no silêncio com Deus.

Pensamento e Vida, Chico Xavier (Emmanuel)

Outro livro de Chico Xavier que aborda a abnegação é Pensamento e Vida, ditado por Emmanuel, guia espiritual do médium.

Como ele explica em determinado trecho:

“A abnegação, que é sacrifício pela felicidade alheia, sublima o espírito. (…) Pela fidelidade ao desempenho das suas obrigações, o homem melhora a si mesmo, e, pela abnegação, o anjo aproxima-se do homem melhorado, aprimorando a vida e o mundo.”

Na obra, Emmanuel esclarece sobre como os pensamentos agem poderosamente modelando a vida e são capazes de mudar não só o íntimo de cada um, mas a humanidade como um todo.

Religião dos espíritos, Chico Xavier (Emmanuel)

Emmanuel e Chico Xavier produziram, juntos, muitas obras importantes para a literatura espírita.

Religião dos espíritos é uma delas.

Este livro, em especial, dá ênfase a diversos valores morais.

No capítulo 17, intitulado Jesus e humildade, Emmanuel retrata como Jesus preferiu se sacrificar em prol da humanidade.

Conclusão

Abnegação no Espiritismo

Como vimos, a literatura espírita, sobretudo às primeiras obras da codificação, trata a abnegação como uma virtude a ser alcançada para a evolução moral.

Temos que praticar o desapego dos interesses próprios, colocando a prática do bem acima de qualquer coisa, mesmo que isso represente um sacrifício, assim como fez Jesus Cristo.

O Salvador é o nosso maior exemplo de abnegação.

Ele não agradou a si mesmo e, ainda, deu o seu melhor para a humanidade, a fim de que ela progredisse.

E por falar em progresso, a presença da abnegação entre os homens é uma característica que levará a Terra para um novo mundo, como vemos em O Evangelho Segundo o Espiritismo (Cap. XI, item 9):

“A Terra, orbe de provação e de exílio, será então purificada por esse fogo sagrado e verá praticados na sua superfície a caridade, a humildade, a paciência, o devotamento, a abnegação, a resignação e o sacrifício, virtudes todas filhas do amor.”

Estamos caminhando para que o nosso planeta se torne um lugar de regeneração.

Para isso, cada indivíduo que aqui habita tem a responsabilidade de buscar o aprimoramento, praticando o amor e fazendo o bem.

Gostou deste conteúdo sobre abnegação? Então, aproveite o espaço ao final do texto para escrever o seu comentário.

Tem outro tema que gostaria de ver por aqui? Faça uma sugestão de assunto para a nossa equipe pelo formulário de contato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *