Doutrinação de espíritos: principais desafios e métodos

doutrinação de espíritos

Em centros espíritas é comum ver a doutrinação de espíritos, aconselhamento ou orientação aos desencarnados em desequilíbrio, como uma das atividades da casa.

Isso porque esses lugares são os mais adequados para a comunicação com espíritos e o trabalho de desobsessão aplicado aos espíritos obsessores e aos espíritos encarnados obsidiados.

Se você tem interesse em saber como isso funciona na prática e gostaria de se tornar um médium doutrinador/orientador, este artigo pode ajudar.

Nas próximas linhas, você confere os principais desafios e métodos do aconselhamento evangélico aos espíritos.

Continue acompanhando até o final.

Doutrinação de espíritos: o que é?

doutrinação de espíritos

A doutrinação de espíritos é uma espécie de aconselhamento psicoterápico utilizado para trabalhar as más intenções dos espíritos obsessores e fazê-los desistir da vingança a que se aplicam, pois estão se comprometendo espiritualmente mais ainda, quando fazem isto.

Ela foi criada e desenvolvida por Allan Kardec a fim de conduzir os espíritos necessitados ao caminho de luz.

Trata-se de uma atividade admirável, mas, ao mesmo tempo, extremamente desafiadora.

Por essa razão, a dificuldade da tarefa é sempre abordada na doutrinação para iniciantes, a fim de que os futuros doutrinadores desenvolvam as competências necessárias para exercer a função.

Na prática, através da comunicação, o médium promove o esclarecimento doutrinário de espíritos menos elevados.

Qual a necessidade de doutrinar espíritos?

Qual a necessidade de doutrinar espíritos?

A escala espírita descrita em O Livro dos Espíritos – perguntas de nº 100 a 113, embora não seja absoluta, é composta de três ordens de espíritos: os puros, os bons e os imperfeitos.

Na ordem dos imperfeitos existem diversas classes de espíritos.

Algumas delas são caracterizadas pela presença de espíritos inferiores que são capazes de fazer o mal, ainda que não seja uma intenção direta.

Isso porque lhes falta progresso moral e intelectual.

Nesses casos, os espíritos chegam a perturbar os que estão encarnados, inclusive, de maneira severa, que podem provocar sintomas físicos e até a perda de consciência do obsediado.

Por essa razão, faz-se necessária a doutrinação ou a reeducação de propósitos, a fim de que os obsessores cessem a influência espiritual e os obsediados possam viver sem a influência perniciosa deles.

Objetivos da doutrinação de espíritos

Como vimos até aqui, a doutrinação de espíritos visa orientar os espíritos que provocam influência nos encarnados.

Assim, necessitam de ajuda e esclarecimento para que encontrem a luz e caminhem rumo ao progresso.

Por isso, a doutrinação de espíritos tem como objetivos esclarecer os espíritos ignorantes, estimular os espíritos fracos e confortar os espíritos sofredores.

O que é um médium doutrinador?

doutrinação de espíritos

O médium doutrinador é quem realiza a doutrinação de espíritos.

É ele quem se conecta e se comunica com os espíritos desencarnados a fim de proporcionar ajuda e esclarecimento.

Características do médium doutrinador

Para fazer o trabalho, o médium doutrinador deve possuir alguns atributos importantes.

Afinal, a tarefa requer certas habilidades para que o acolhimento e o encaminhamento do espírito obsessor sejam feitos da melhor maneira.

Veja a seguir as principais características do médium doutrinador:

  • Paciência
  • Tolerância
  • Benevolência
  • Simpatia
  • Otimismo
  • Fraternidade
  • Objetividade
  • Escuta atenta.

Cabe acrescentar ainda que o médium doutrinador deve ter conhecimento da Doutrina Espírita e das técnicas e métodos eficazes para promover o esclarecimento doutrinário.

Como doutrinar os espíritos?

doutrinação de espíritos

Emmanuel, guia espiritual de Chico Xavier, explica como se deve doutrinar os espíritos no livro O Consolador:

“Assim, não basta doutrinar o Espírito, no sentido de transmitir-lhe informações ou ensinar-lhe algo, é importante evangelizar. (…) Para doutrinar, basta o conhecimento intelectual dos postulados do Espiritismo; para evangelizar é necessária a luz do amor no íntimo. Na primeira, bastarão a leitura e o conhecimento; na segunda, é preciso vibrar e sentir com o Cristo.”

Dessa forma, podemos dizer que a doutrinação dos espíritos se baseia e se fortalece no amor.

7 métodos a serem utilizados na doutrinação de espíritos

doutrina espiritual

A fim de estabelecer condições favoráveis de um bom diálogo com os espíritos, o médium doutrinador pode fazer o uso das técnicas de doutrinação espírita.

Entre elas:

1. Demonstrar interesse no diálogo

É fundamental que o espírito sinta que o médium está de coração entregue à conversa, com a verdadeira intenção de compreensão e auxílio.

2. Ter paciência e atenção

Ainda que o espírito diga coisas que não sejam agradáveis de serem ouvidas, o doutrinador precisa escutar com atenção e ter paciência.

3. Abrir espaço para que o espírito se expresse

A doutrinação não pode se tornar um discurso em que só o médium fala. O espírito também deve ter liberdade de se comunicar.

4. Manter uma conversa amigável

Nem sempre é fácil ter um diálogo afetuoso com o espírito obsessor, mas é papel do doutrinador tentar ao máximo manter a conversa amigável.

5. Promover conforto e amparo

O esclarecimento doutrinário só será efetivado se o médium desempenhar a sua função com amor, promovendo conforto e amparo ao espírito.

6. Ter “pulso firme”

Ainda que a doutrinação demande uma postura amigável e amável, o médium também deve demonstrar segurança e firmeza durante o diálogo.

7. Ser claro, objetivo e esclarecedor

Para que o espírito entenda o mal que está causando e encontre o caminho da luz, é preciso ter clareza e objetividade, sempre com a certeza de esclarecer todas as dúvidas.

Condições favoráveis para a doutrinação de espíritos

doutrinação de espíritos

Para que a doutrinação de espíritos seja eficaz é importante que algumas circunstâncias sejam propiciadas e atendidas.

Com relação ao espírito, é fundamental que ele encontre no médium doutrinador um instrumento de auxílio.

Para isso, deve-se estabelecer um bom diálogo, pautado na solidariedade, fraternidade e compreensão.

Além disso, para que a comunicação e os resultados sejam evidenciados, o contato precisa de boas vibrações, que podem ser emanadas através de preces e passes, por exemplo.

Quais são os principais desafios na doutrinação de espíritos?

Alguns espíritos vestem uma máscara ao entrar em contato com os doutrinadores.

Isto é, assumem condutas propositais para ludibriar os médiuns que querem lhe ajudar.

Reconhecer essa atitude e fazer com que os espíritos se livrem da dissimulação é um dos principais desafios na doutrinação de espíritos.

Além disso, há dificuldades inerentes a cada tipo de espírito:

Doutrinar espíritos sofredores

Na doutrinação de espíritos sofredores e obsessores, o médium doutrinador tem o desafio de mostrar que o sofrimento é reflexo do corpo físico.

Espíritos maldosos

Já no caso dos espíritos maldosos, o doutrinador tem a missão de promover alertas quanto às condutas perversas, evidenciando as recompensas pela prática do bem.

Espíritos recalcitrantes

Um dos maiores impasses ao lidar com os espíritos recalcitrantes consiste em aprender a lidar com suas vontades latentes.

5 hábitos a se evitar para a doutrinação de espíritos

Como doutrinar os espíritos?

Assim como é importante conhecer as técnicas de doutrinação espírita favoráveis ao bom diálogo, também é válido ficar atento ao modo que não se deve agir, como:

1. Fazer acusações sem necessidade

É preciso tomar cuidado para não repudiar o espírito sem que seja preciso.

2. Exaltar-se durante o diálogo

Não se deve esquecer nunca que a doutrinação espírita se baseia no amor e na fraternidade.

3. Impor seu ponto de vista

Aconselhar e orientar o espírito não significa instituir à força a sua perspectiva.

4. Tratar os espíritos como agentes do mal

Nem todos os espíritos fazem o mal com a intenção, por isso, evite criar estereótipos.

5. Discursos longos e fora de contexto

Evite sempre falas pouco objetivas e que não agregam ao esclarecimento doutrinário.

3 tipos de espíritos comunicantes

tipos de espiritos

Há, basicamente, três tipos de espíritos que são alvo da doutrinação:

1. Sofredores

São espíritos que não souberam lidar com o desencarne e ainda sofrem os efeitos da carne.

2. Maldosos

Os maldosos possuem pouco adiantamento moral e se deleitam com o mal que causam aos encarnados.

3. Recalcitrantes

Os espíritos recalcitrantes, por sua vez, perpetuam no erro por não acharem que suas condutas são incorretas.

Resultados da doutrinação de espíritos

Qual a necessidade de doutrinar espíritos?

Nem sempre a doutrinação dos espíritos surte os resultados esperados.

Isso porque há muitos fatores que interferem, como o ambiente em que se dá a reunião, a condição moral dos médiuns, as técnicas adotadas e, principalmente, o grau de aceitação do espírito obsessor.

Por outro lado, quando tudo conspira a favor, o espírito se transforma.

Ele procura dominar o mal que o impele, começa a olhar a vida com outros olhos e passa a ter paz e fé.

Com o seu caminho iluminado, o espírito pode seguir os passos da maneira que deve ser, com trabalho e progresso.

Com o esclarecimento do espírito em provas, o obsidiado também deve realizar em si mesmo a sua transformação moral para melhor.

Assim, desfaz-se o elo de ligação com os espíritos inferiores que o atormentavam. Orar por aqueles que não nos querem bem é uma terapêutica também recomendada.

Conclusão

Como vimos, a doutrinação de espíritos é usada para afastar os obsessores, ajudando-os a encontrarem a luz.

A atividade tem como premissa o amor e se fundamenta no esclarecimento dos princípios espíritas.

Por fim, para concluir este artigo, vale mencionar a mensagem do espírito André Luiz no livro Desobsessão, psicografado por Chico Xavier, que reforça o quão gratificante e benéfica é a doutrinação dos espíritos:

“Erraríamos frontalmente se julgássemos que a desobsessão apenas auxilia os desencarnados que ainda pervagam nas sombras da mente. Semelhantes atividades beneficiam a eles, a nós, bem assim os que nos partilham a experiência cotidiana, seja em casa ou fora do reduto doméstico e, ainda, os próprios lugares espaciais em que se desenvolve a nossa influência”.

Gostou deste conteúdo sobre doutrinação de espíritos? Então, aproveite o espaço ao final do texto para escrever o seu comentário.

Tem outro tema que gostaria de ver por aqui? Faça uma sugestão de assunto para a nossa equipe pelo formulário de contato.

4 comentários em “Doutrinação de espíritos: principais desafios e métodos”

  1. Avatar
    Iara Maria Bernardes Henriques Amaral

    Muito clara e objetiva a explicação.
    Na tarefa doutrinária de espíritos obsessores, sem sombra de dúvidas as condutas acima sugeridas, se bem aplicadas repercutirão num belíssimo trabalho de orientação espiritual destes irmãos, trabalho este de reflexos diretos tanto no mundo espiritual, bem como no mundo material.
    É um trabalho de resultados em cadeia, onde muitos serão beneficiados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *